Cuidados com as bezerras começam no pré-parto e seguem logo após o nascimento - Balde Branco

É neces­sá­rio ado­tar medi­das que garan­tam o suces­so da pro­du­ti­vi­da­de de bezer­ras, cui­dan­do de sua segu­ran­ça e desen­vol­vi­men­to des­de o momen­to pré-parto

Cuidados com as bezerras começam no pré-parto e seguem logo após o nascimento 

Por Mário Vider­mann, médi­co vete­ri­ná­rio e geren­te de pro­du­tos da Aus­ter Nutri­ção Animal

Todos que ini­ci­am uma via­gem gos­ta­ri­am de rea­li­zá-la da melhor manei­ra e mais tran­qui­la pos­sí­vel. Estar na estra­da cer­ta é uma exce­len­te esco­lha para um per­cur­so segu­ro. Na fazen­da lei­tei­ra, o pon­to de par­ti­da está na repro­du­ção das matri­zes. É aí que se defi­ne a con­ti­nui­da­de das novas gera­ções e o aumen­to da pro­du­ti­vi­da­de. Isso ocor­re ain­da melhor quan­do a saú­de é presente.

O inves­ti­men­to de recur­sos e tem­po pode ser oti­mi­za­do quan­do agi­mos de for­ma pre­ven­ti­va. Cla­ro que have­rá cor­re­ções duran­te a tra­je­tó­ria, como no caso da diar­reia e suas cau­sas, pre­ju­di­can­do o desen­vol­vi­men­to das bezerras.

Assim, é neces­sá­rio ado­tar medi­das que garan­tam o suces­so da pro­du­ti­vi­da­de de bezer­ras, cui­dan­do de sua segu­ran­ça e desen­vol­vi­men­to des­de o momen­to pré-par­to. Entre os fato­res pré­vi­os ao nas­ci­men­to dos ani­mais, é impor­tan­te: refor­çar a ado­ção de pro­gra­mas vaci­nais para vacas na seca­gem, com refor­ço entre 21 e 30 dias ante­ri­o­res ao par­to, melho­ran­do a qua­li­da­de do colos­tro e ofe­re­cen­do mai­o­res níveis nutri­ci­o­nais às bezer­ras. Impor­tan­te não dei­xar de rea­li­zar a vaci­na­ção por con­ta de reba­nhos peque­nos e inves­tir no coo­pe­ra­ti­vis­mo para o com­par­ti­lha­men­to de doses entre pro­pri­e­da­des; ofe­re­cer duran­te o pré-par­to des­sas vacas ali­men­ta­ção equi­li­bra­da e con­for­to de cama e res­fri­a­men­to – é neces­sá­rio que a cama seja nova, com palha alta, em ambi­en­te lim­po, cal­mo e monitorado.

Dado o nas­ci­men­to, é impres­cin­dí­vel que pro­du­to­res e equi­pe vete­ri­ná­ria tomem os seguin­tes cui­da­dos com as bezer­ras: desobs­truir as vias aére­as, ten­do estí­mu­los res­pi­ra­tó­ri­os refor­ça­dos, sen­do secas e mas­sa­ge­a­das no sen­ti­do cau­do­cra­ni­al; for­ne­cer colos­tro após a orde­nha higi­e­ni­za­da, ava­li­an­do sua qua­li­da­de (ide­al de 50 mg/ml IgG – aci­ma de 21°Brix), com volu­me míni­mo de 3l a 5l nas pri­mei­ras seis horas após o par­to; rea­li­zar a cura do umbi­go com solu­ção ioda­da de 5% a 10% duas vezes ao dia por 4 dias e uma vez ao dia por mais 5 dias; per­ma­nên­cia de bezer­ras mais novas em locais pro­te­gi­dos do frio, con­ten­do ven­ti­la­ção de 1m/s à altu­ra de 1m da bezer­ra, per­mi­tin­do a cir­cu­la­ção do ar e evi­tan­do o ven­to dire­to; for­ne­cer camas com palha alta, seca e lim­pa, ofe­re­cen­do pro­te­ção con­tra frio e lesões; moni­to­rar com­por­ta­men­to, nível de aten­ção e vita­li­da­de, grau de hidra­ta­ção, esco­re cor­po­ral, pre­sen­ça ou não de cor­ri­men­to nasal, esco­re das fezes, pre­sen­ça de mos­cas, grau de lota­ção do setor, afe­rir ama­men­ta­do­res e dis­tri­bui­do­res de suce­dâ­neo ou lei­te; for­ne­cer suce­dâ­neo lác­teo (lei­te em pó) de exce­len­te qua­li­da­de – aten­ção às pesa­gens para dilui­ção e con­cen­tra­ção cor­re­ta em tem­pe­ra­tu­ra de 40°C; dis­po­ni­bi­li­zar água de boa qua­li­da­de para o con­su­mo, rea­li­zan­do a lim­pe­za de cai­xas d’água com mai­or frequên­cia e ava­li­a­ção perió­di­ca de sua qualidade.

É impor­tan­te que tam­bém sejam ado­ta­das medi­das de bios­se­gu­ri­da­de, com rea­li­za­ção de vazi­os sani­tá­ri­os, sani­ti­za­ção de bai­as, ofe­re­cen­do estru­tu­ras que tenham fácil higi­e­ni­za­ção, sani­ti­za­ção de botas e mãos de fun­ci­o­ná­ri­os, res­trin­gin­do o aces­so de não tra­ba­lha­do­res do setor; sani­ti­zar uten­sí­li­os, como buchas, esco­vas, bal­des, bebe­dou­ros e mama­dei­ras, mer­gu­lhan­do-os em solu­ções de hipo­clo­ri­to de sódio, solu­ções com base de dime­til ben­zil amô­nia, dió­xi­do de clo­ro ou com os novos pro­du­tos à base de peró­xi­do de hidro­gê­nio, como Hydro­ca­re, da Aus­ter Nutri­ção Ani­mal, para desin­fec­ção e limpeza.

Embo­ra todos os pro­to­co­los ado­ta­dos visem dimi­nuir a inci­dên­cia de pos­sí­veis enfer­mi­da­des, as bezer­ras con­ti­nu­am expos­tas às vari­a­ções de trans­fe­rên­cia de imu­ni­da­de pas­si­va, mudan­ças ambi­en­tais ou de mane­jo, além de pos­sí­veis expo­si­ções a novos agen­tes bio­ló­gi­cos ou agen­tes que antes esta­vam con­tro­la­dos – isso pode desen­ca­de­ar qua­dros de diar­reia e pro­vo­car qua­dros de desi­dra­ta­ção, ten­do como fer­ra­men­ta de apoio o ofe­re­ci­men­to de hidra­ta­ção via oral em qua­dros leves, com solu­ções com fon­te de ener­gia, capa­zes de repor ele­tró­li­tos e leveduras.

Rolar para cima