Conseleite pede atenção aos prejuízos com PL 214 - Balde Branco

O Con­se­lei­te-RS enca­mi­nhou no últi­mo dia 22 de junho um ofí­cio aos mem­bros da Comis­são de Agri­cul­tu­ra, Pecuá­ria e Coo­pe­ra­ti­vis­mo da Assem­bleia Legis­la­ti­va, em Por­to Ale­gre-RS, que pede que o Pro­je­to de Lei (PL) 214, que pre­vê a reti­ra­da de 30% de cré­di­tos pre­su­mi­dos das indús­tri­as, não pre­ju­di­que o setor lácteo.

O pre­si­den­te do Con­se­lei­te e do Sin­di­lat-Sin­di­ca­to da Indús­tria de Lati­cí­ni­os do RS, Ale­xan­dre Guer­ra, entre­gou o docu­men­to ao depu­ta­do esta­du­al Elton Weber e lem­brou da impor­tân­cia do diá­lo­go entre as ins­ti­tui­ções res­pon­sá­veis para o anda­men­to do pro­je­to. “Cor­te de cré­di­to é aumen­to de impos­tos”, aler­tou, sali­en­tan­do que os incen­ti­vos das indús­tri­as de lati­cí­ni­os são fun­da­men­tais para a manu­ten­ção de uma pro­du­ção rentável.

Para Guer­ra, um dos fato­res que enfra­que­cem a com­pe­ti­ti­vi­da­de é o per­fil impor­ta­dor que o país pos­sui, o que con­tra­põe o cará­ter expor­ta­dor do Esta­do. “O que vem de fora entra no Bra­sil por 35 cen­ta­vos de dólar, equi­va­len­te a R$ 1,15. Não con­se­gui­mos pro­du­zir a cus­to de lei­te impor­ta­do”, des­ta­cou. Segun­do o pre­si­den­te, o índi­ce de redu­ção de pro­du­to­res de lei­te do Esta­do, por ano, é de 7%, o que enca­re­ce e pre­ju­di­ca a produção.

“Somos a cadeia que mais empre­ga, mais exi­ge esfor­ços e aten­ção”. Ele lem­brou, ain­da, que não exis­te espa­ço para novas car­gas tri­bu­tá­ri­as, vis­to o dina­mis­mo e a fra­gi­li­da­de do setor lác­teo. “No mês pas­sa­do, a soja e o milho caí­ram de pre­ço, dimi­nuin­do os cus­tos para o pro­du­tor. Nes­te mês, o exces­so de chu­vas fez o pre­ço subir”, exem­pli­fi­cou. “O Rio Gran­de do Sul fez e con­ti­nua fazen­do a sua par­te para que pos­sa­mos man­ter as famí­li­as nas suas atividades”.

Rolar para cima