Comércio facilitado entre Brasil e Uruguai - Balde Branco

Acor­do de reco­nhe­ci­men­to mútuo dos pro­gra­mas de cer­ti­fi­ca­ção de Ope­ra­dor Econô­mi­co Auto­ri­za­do (OEA) entre Bra­sil e Uru­guai, que deve faci­li­tar o comér­cio entre os dois paí­ses, foi assi­na­do no últi­mo dia 13 de dezem­bro, duran­te o Semi­ná­rio Inter­na­ci­o­nal Pro­je­to OEA Inte­gra­do, pro­mo­vi­do pela Ali­an­ça Pró-Moder­ni­za­ção Logís­ti­ca de Comér­cio Exte­ri­or (Pro­co­mex), na capi­tal paulista.

Segun­do o secre­tá­rio da Recei­ta Fede­ral, Jor­ge Rachid, o país tem, atu­al­men­te, 72 ope­ra­do­res econô­mi­cos auto­ri­za­dos, o que tota­li­za 12,6% do volu­me de decla­ra­ções de impor­ta­ção e expor­ta­ção do país. Isso repre­sen­ta 12% do valor em reais tran­sa­ci­o­na­dos no Bra­sil. A meta do órgão, no entan­to, é che­gar a 50% de decla­ra­ções até 2019.

“O acor­do assi­na­do envol­ve atu­al­men­te um volu­me de 2,5 bilhões expor­ta­dos pelo Bra­sil e R$ 1,8 bilhão em impor­ta­ções. O pro­du­to mais expor­ta­do é o óleo bru­to de petró­leo e a impor­ta­ção mais impor­tan­te é a de lei­te em pó e cre­me de lei­te con­cen­tra­do. A expec­ta­ti­va é redu­zir os cus­tos com trâ­mi­tes adu­a­nei­ros em 14,5%.

Rolar para cima