CNA propõe parceria ao CNPq - Balde Branco

O pre­si­den­te da CNA-Con­fe­de­ra­ção da Agri­cul­tu­ra e Pecuá­ria do Bra­sil, João Mar­tins, propôs par­ce­ria com o CNPq-Con­se­lho Naci­o­nal de Desen­vol­vi­men­to Cien­tí­fi­co e Tec­no­ló­gi­co para inten­sificar o desen­vol­vi­men­to de pes­qui­sas e ino­va­ções na ati­vi­da­de agro­pe­cuá­ria. O tema foi abor­da­do no últi­mo dia 10 de agos­to, pelo pre­si­den­te da ins­ti­tui­ção, Her­nan Chaimovich.

“Pela dimen­são e impor­tân­cia da ati­vi­da­de agro­pe­cuá­ria, pre­cisamos bus­car cada vez mais par­ce­ri­as com enti­da­des de pes­quisa”, jus­ti­fi­cou Mar­tins. Segun­do ele, a pes­qui­sa deve bene­fi­ci­ar prin­ci­pal­men­te os peque­nos pro­du­to­res para que estes pro­du­zam em esca­la comer­ci­al. Hoje, dos 5 milhões de agri­cul­to­res e pecu­aristas, somen­te 300 mil res­pon­dem por mais de 80% da ren­da do setor. “Pre­ci­sa­mos dis­tri­buir melhor a ren­da e mas­si­fi­car a clas­se média rural”, afirmou.

Para o pre­si­den­te da CNA, a pes­qui­sa envol­ve ques­tões im­portantes para o setor. Entre elas estão a assis­tên­cia téc­ni­ca e a exten­são rural, que pode­ri­am pro­por­ci­o­nar téc­ni­cas de melho­ria da pro­du­ção e pro­du­ti­vi­da­de. Há, ain­da, o desen­vol­vi­men­to de tecno­logias para adap­tar a ati­vi­da­de agro­pe­cuá­ria a fato­res cli­má­ti­cos, como a seca no Nor­des­te e plan­tas resis­ten­tes a pra­gas e doen­ças. Em momen­tos de cri­se econô­mi­ca a pes­qui­sa pode repre­sen­tar um dife­ren­ci­al impor­tan­te para o suces­so da ati­vi­da­de agropecuária.

Rolar para cima