CNA anuncia premiação dos melhores queijos artesanais do País - Balde Branco
Premiação dos melhores queijos

Mais de 90 pro­du­to­res par­ti­ci­pa­ram da sele­ção com quei­jos de 13 esta­dos: Bahia, Cea­rá, Espí­ri­to San­to, Goiás, Mato Gros­so do Sul, Minas Gerais, Para­ná, Per­nam­bu­co, Rio de Janei­ro, Rio Gran­de do Nor­te, Rio Gran­de do Sul, San­ta Cata­ri­na e Sergipe

CNA anuncia premiação dos melhores queijos artesanais do País

A Con­fe­de­ra­ção da Agri­cul­tu­ra e Pecuá­ria do Bra­sil (CNA) pre­mi­ou, na quar­ta (13), os 15 melho­res quei­jos arte­sa­nais do País em cerimô­nia ao vivo pelo canal da enti­da­de no Youtube.

O prê­mio faz par­te das ações do Pro­gra­ma de Ali­men­tos Arte­sa­nais e Tra­di­ci­o­nais do Sis­te­ma CNA/Senar para valo­ri­zar e divul­gar esses pro­du­tos. Essa edi­ção é uma par­ce­ria da Con­fe­de­ra­ção com a Empre­sa de Pes­qui­sa Agro­pe­cuá­ria de Minas Gerais (Epa­mig) e com o Ser­vi­ço Bra­si­lei­ro de Apoio às Micro e Peque­nas Empre­sas (Sebrae).

Na aber­tu­ra do even­to, o pre­si­den­te da CNA, João Mar­tins, des­ta­cou a impor­tân­cia da pecuá­ria lei­tei­ra e afir­mou que essa edi­ção foi rea­li­za­da para for­ta­le­cer a pro­du­ção naci­o­nal de lei­te, esti­mu­lar a for­ma­li­za­ção dos pro­du­to­res e ampli­ar as pos­si­bi­li­da­des de mer­ca­do para os quei­jos artesanais.

Dr joao premio queijo artesanal

“O Sis­te­ma CNA/Senar sem­pre tra­ba­lhou para que essas tra­di­ções, cul­tu­ras e diver­si­da­des fos­sem pre­ser­va­das e reco­nhe­ci­das. Esse setor está em fran­ca expan­são com gran­des opor­tu­ni­da­des de cres­ci­men­to e espe­ra­mos que o con­cur­so dê visi­bi­li­da­de e melho­re as ven­das des­ses pro­du­tos”, disse.

Mais de 90 pro­du­to­res par­ti­ci­pa­ram da sele­ção com quei­jos de 13 esta­dos: Bahia, Cea­rá, Espí­ri­to San­to, Goiás, Mato Gros­so do Sul, Minas Gerais, Para­ná, Per­nam­bu­co, Rio de Janei­ro, Rio Gran­de do Nor­te, Rio Gran­de do Sul, San­ta Cata­ri­na e Sergipe.

Car­los Mel­les, pre­si­den­te do Sebrae, dis­se que a pre­mi­a­ção con­tri­buiu para pro­mo­ver o lei­te bra­si­lei­ro e refor­çou que a enti­da­de tem tra­ba­lha­do com as indi­ca­ções geo­grá­fi­cas para mos­trar a plu­ra­li­da­de do Brasil.

Carlos melles sebrae premio queijo

“Esse é o cami­nho. É o que bus­cam a CNA e o Sebrae: fazer a vida do pro­du­tor melhor e mais fácil. Melhor no aspec­to da ren­ta­bi­li­da­de, de agre­gar valor e ter qua­li­da­de de vida como um todo. Nos­so con­su­mo de quei­jo é peque­no, é um desa­fio gran­de, por isso estou feliz e hon­ra­do por par­ti­ci­par­mos des­sa iniciativa”.

Os ven­ce­do­res foram sele­ci­o­na­dos em três cate­go­ri­as: arte­sa­nais com tra­ta­men­to tér­mi­co; arte­sa­nais com 30 a 180 dias de matu­ra­ção; e arte­sa­nais com adições/aromatizados/condimentados.

Na cate­go­ria 30 a 180 dias de matu­ra­ção, o 5º lugar ficou com Arnal­do Fer­rei­ra Bor­ges, da Quei­jos Aiu­ru­o­ca, Aiu­ru­o­ca (MG). O quar­to colo­ca­do foi Hugo Lei­te, da quei­ja­ria Roça da Cida­de, de São Roque de Minas (MG). Em 3º lugar ficou Joa­quim Luiz de Car­va­lho, com o Par­me­são da Gene­ro­sa, do muni­cí­pio de Andre­lân­dia (MG); em 2º lugar, Fran­cis­co Antô­nio de Bar­ros Jr., da Sabor da Ala­goa, de Ala­goa (MG). E o ven­ce­dor foi San­der Wil­li­an Ver­burg, da Quei­jos Cor­né­lia, de Ara­po­ti (PR).

Em tra­ta­men­to tér­mi­co, o 5º colo­ca­do foi Die­go Pero­sa, da quei­ja­ria Pero­sa, em Ira­ce­mi­nha (SC); o 4º foi Car­los Hen­ri­que C. Lamim, com o Mara­na­ta Bron­ze, de Vir­gí­nia (MG); o 3º lugar teve Edmil­son Rolin­do, da Canas­tra Melhor de Minas, de For­mi­ga (MG); o 2º lugar foi Laris­sa Sil­va Melo, com o Cana Velha Tra­di­ci­o­nal, do muní­ci­pio de São Brás do Sua­çuí (MG); e o 1º lugar foi para Joa­quim Luiz de Car­va­lho, com o Len­dá­rio da Gene­ro­sa (MG).

Rusty

Na cate­go­ria arte­sa­nais aro­ma­ti­za­dos e/ou con­di­men­ta­dos os ven­ce­do­res foram: em 5º lugar, Regi­nal­do de Assis Cas­tro, da Quei­jo 3 Irmãos, em Tapi­ra (MG); em 4º lugar, Laris­sa Sil­va Melo, da Quei­jos Cana Velha (MG); em 3º lugar, Adal­ber­to Men­des de Bar­ros, do Quei­jo Sítio da Onça, de Ala­goa (MG); 2º lugar para Quei­jos Almei­da Gui­ma­rães em Ita­nhan­du (MG); e em 1º lugar, San­der Wil­li­an Ver­burg, da Quei­jos Cor­né­lia, de Ara­po­ti (PR).

Todos os ganha­do­res agra­de­ce­ram a opor­tu­ni­da­de de par­ti­ci­par da pre­mi­a­ção e refor­ça­ram a impor­tân­cia des­se tipo de ini­ci­a­ti­va para ampli­ar a visi­bi­li­da­de dos quei­jos arte­sa­nais no País.

San­der Wil­li­an Ver­burg, que ven­ceu em pri­mei­ro lugar nas cate­go­ri­as arte­sa­nais com 30 a 180 dias de matu­ra­ção e aro­ma­ti­za­dos e/ou con­di­men­ta­dos, afir­mou que foi uma sur­pre­sa ser pre­mi­a­do duas vezes.

Sander verburg

“Quan­do me ins­cre­vi, a inten­ção era ape­nas saber como o júri téc­ni­co iria ava­li­ar meus pro­du­tos. Estou mui­to feliz e que­ro agra­de­cer a par­ti­ci­pa­ção e prin­ci­pal­men­te minha mãe que me ensi­nou a téc­ni­ca de fazer quei­jo que foi pas­sa­da de gera­ção em geração”.

Os quei­jos de Joa­quim Luiz de Car­va­lho, da Len­dá­rio da Gene­ro­sa, leva­ram o pri­mei­ro lugar em tra­ta­men­to tér­mi­co e o ter­cei­ro lugar entre os sele­ci­o­na­dos na cate­go­ria 30 a 180 dias de matu­ra­ção. Ele dedi­cou a vitó­ria à equi­pe e à família.

Joaquim lendario

“Hoje é um dia dife­ren­te, esta­mos mui­to emo­ci­o­na­dos e hon­ra­dos pela pre­mi­a­ção. Obri­ga­do a CNA por pro­por­ci­o­nar isso na nos­sa vida”.

Laris­sa Sil­va Melo, da Cana Velha Tra­di­ci­o­nal, tam­bém ven­ceu em duas cate­go­ri­as, com o 2º lugar em tra­ta­men­to tér­mi­co e o 4º lugar nos arte­sa­nais aro­ma­ti­za­dos e/ou condimentados.

Larissa melo

“Foi um pra­zer para nós par­ti­ci­par e espe­ra­mos que com o apoio de vocês a gen­te con­si­ga melho­rar nos­sa pro­du­ção para poder­mos des­pon­tar e colo­car Minas e o Bra­sil no mapa do mundo”.

Os quei­jos pas­sa­ram por uma ava­li­a­ção téc­ni­ca e por júri popu­lar. O prê­mio tam­bém ava­li­ou a his­tó­ria do pro­du­to envi­a­da pelo pro­du­tor, que ana­li­sou o conhe­ci­men­to tra­di­ci­o­nal, a con­tri­bui­ção para a auto­no­mia econô­mi­ca do pro­du­tor (a) rural, a sus­ten­ta­bi­li­da­de ambi­en­tal e o aspec­to dife­ren­ci­al ou ori­gi­nal do produto.

Os fina­lis­tas nas três cate­go­ri­as rece­be­ram um prê­mio em dinhei­ro, o cur­so Sebrae Empre­tec e um cer­ti­fi­ca­do. O pri­mei­ro colo­ca­do de cada cate­go­ria rece­be­rá R$ 6 mil, o segun­do R$ 3,5 mil, o ter­cei­ro R$ 2 mil, o quar­to lugar R$ 1 mil e o quin­to colo­ca­do, R$ 500.

Veja a pon­tu­a­ção de cada quei­jo cli­can­do aqui.

Fonte: CNA