CFMV lança campanha sobre bem-estar animal - Balde Branco

Ação é base­a­da no con­cei­to conhe­ci­do como as Cin­co Liber­da­des, que abran­ge aspec­tos que influ­en­ci­am a qua­li­da­de de vida do animal

Duran­te cerimô­nia de aber­tu­ra do IV Con­gres­so Bra­si­lei­ro de Bioé­ti­ca e Bem-estar Ani­mal, no últi­mo dia 18 de abril, em Por­to Ale­gre-RS, o CFMV-Con­se­lho Fede­ral de Medi­ci­na Vete­ri­ná­ria lan­çou uma cam­pa­nha naci­o­nal para infor­mar e cons­ci­en­ti­zar a popu­la­ção e cri­a­do­res sobre o bem-estar ani­mal.  A cam­pa­nha des­ta­ca que os médi­cos vete­ri­ná­ri­os e zoo­tec­nis­tas são os gran­des ali­a­dos da popu­la­ção na bus­ca por um bem-estar único.

O pre­si­den­te do CFMV, Bene­di­to For­tes de Arru­da, lan­çou a cam­pa­nha no even­to e res­sal­tou a impor­tân­cia des­sa inte­gra­ção. “Não pode­mos ficar res­tri­tos ape­nas ao bem-estar huma­no, ani­mal ou da natu­re­za, mas enten­der que somos uma célu­la úni­ca e inter­de­pen­den­te e que é pos­sí­vel esta­be­le­cer uma con­vi­vên­cia sau­dá­vel entre todos”, disse.

Os ani­mais são seres sen­ci­en­tes, ou seja, capa­zes de sen­tir emo­ções como medo e feli­ci­da­de. Na atu­a­li­da­de, a soci­e­da­de cada vez mais reco­nhe­ce a impor­tân­cia de pen­sar alter­na­ti­vas para mini­mi­zar a dor e o sofri­men­to dos ani­mais. Em todas as áre­as, o bem-estar deve ser con­si­de­ra­do e o com­por­ta­men­to de cada espé­cie conhe­ci­do pelo médi­co vete­ri­ná­rio e zoo­tec­nis­ta para que suas neces­si­da­des sejam atendidas.

A pro­mo­ção do bem-estar ani­mal anda de mãos dadas com a pro­mo­ção do bem-estar huma­no e da sus­ten­ta­bi­li­da­de. É o cha­ma­do Bem-estar Úni­co, con­cei­to liga­do ao de Saú­de Úni­ca, que fala da inte­gra­ção entre a saú­de e o bem-estar dos ani­mais, seres huma­nos em har­mo­nia com o meio-ambiente.

Cin­co liberdades

A expres­são do com­por­ta­men­to natu­ral da espé­cie é uma das cin­co liber­da­des que todo ani­mal deve ter. As liber­da­des são um ins­tru­men­to reco­nhe­ci­do mun­di­al­men­te para diag­nos­ti­car o bem-estar ani­mal e inclu­em os prin­ci­pais aspec­tos que influ­en­ci­am a qua­li­da­de de vida do animal.

São elas: a liber­da­de de sede, fome e má-nutri­ção; a liber­da­de de dor e doen­ça; a liber­da­de de des­con­for­to; a liber­da­de para expres­sar o com­por­ta­men­to natu­ral da espé­cie; a liber­da­de de medo e de estresse.

Livre de fome - O ani­mal deve ter aces­so a comi­da e água na quan­ti­da­de, qua­li­da­de e frequên­cia ide­ais. Caso o ani­mal não tem uma die­ta ade­qua­da e hidra­ta­ção apro­pri­a­da, pode haver dese­qui­lí­brio nutri­ci­o­nal, geran­do obe­si­da­de, por exemplo.

Livre de dor e de doen­ças — Essa liber­da­de fala das ques­tões de saú­de físi­ca. No caso dos ani­mais de com­pa­nhia, pode haver mai­or ris­co de trans­mis­são de doen­ças entre ani­mais e huma­nos. As vaci­na­ções devem estar sem­pre em dia, para que o bem-estar úni­co, ou seja, o bem-estar dos ani­mais e seres huma­nos levan­do em con­ta o cui­da­do com o meio ambi­en­te, seja promovido.

Livre de des­con­for­to - O ani­mal tam­bém deve estar abri­ga­do em um ambi­en­te com tem­pe­ra­tu­ras con­for­tá­veis para a espé­cie e super­fí­ci­es ade­qua­das para pro­por­ci­o­nar con­for­to. Ani­mais sel­va­gens colo­ca­dos em recin­tos peque­nos, como gai­o­las, por exem­plo, não estão exer­cen­do essa liberdade.

Livre para expres­sar seu com­por­ta­men­to natu­ral — A expres­são do com­por­ta­men­to natu­ral da espé­cie deve ser sem­pre con­si­de­ra­da para medir a qua­li­da­de de vida e bem-estar do ani­mal. É pre­ci­so um espa­ço que não res­trin­ja os com­por­ta­men­tos do ani­mal, por isso é impor­tan­te esti­mu­lar os ani­mais com tare­fas e obje­tos que per­mi­tam seus com­por­ta­men­tos natu­rais. Quan­do o ani­mal não con­se­gue fazer isso, podem apa­re­cer com­por­ta­men­tos anor­mais, como andar repetitivamente.

Livre de medo e estres­se — Essa liber­da­de diz que os ani­mais devem ser livres de sen­ti­men­tos nega­ti­vos, para evi­tar que sofram. Um exem­plo é quan­do há incom­pa­ti­bi­li­da­de entre ani­mais domés­ti­cos, em que a famí­lia intro­duz um novo ani­mal na casa, caso em que é impor­tan­te a ori­en­ta­ção de um médi­co veterinário.

Sobre a campanha

A cam­pa­nha pro­mo­vi­da pelo CFMV con­ta­rá com ações vari­a­das, que bus­cam levar as pes­so­as e os pro­fis­si­o­nais à refle­xão e ao mai­or enten­di­men­to sobre o bem-estar ani­mal. O mate­ri­al foi publi­ca­do em uma pági­na exclu­si­va da cam­pa­nha, e está sen­do com­par­ti­lha­do com a hash­tag #bemes­ta­ra­ni­mal.

O vídeo pro­du­zi­do para a cam­pa­nha será exi­bi­do na TV e tam­bém em salas de cine­ma de todo o Bra­sil. A cam­pa­nha con­ta, ain­da, com um quiz, pro­du­zi­do para tes­tar seus conhe­ci­men­tos sobre o tema, e qua­tro car­ta­zes que sim­bo­li­zam os ani­mais de pro­du­ção, domés­ti­cos e sel­va­gens, e que estão dis­po­ní­veis para down­lo­ad.

Tam­bém no Por­tal do CFMV, estão dis­po­ní­veis cin­co pod­casts com a par­ti­ci­pa­ção do médi­co vete­ri­ná­rio Mar­co Antô­nio Gio­so e da zoo­tec­nis­ta Meyb dos San­tos. Os dois dis­cu­tem temas liga­dos ao bem-estar em um bate-papo e citam exem­plos que escla­re­cem as prin­ci­pais dúvi­das e ques­tões da soci­e­da­de, seja den­tro de casa, seja no cam­po. Outra novi­da­de da cam­pa­nha é o Twib­bon – fer­ra­men­ta que per­mi­te mudar sua foto de per­fil do Face­bo­ok e usar um ava­tar espe­ci­al para mos­trar que você ade­riu à cau­sa da campanha.

Rolar para cima