A Bel­go Beka­ert Ara­mes tor­nou-se par­cei­ra da ONG Panthe­ra, ins­ti­tui­ção que tra­ba­lha na pre­ser­va­ção de mais de 40 espé­ci­es de feli­nos no mun­do, incluin­do a onça-pin­ta­da no Pan­ta­nal.

O pro­je­to envol­ve a ava­li­a­ção da efi­cá­cia do cer­ca­men­to elé­tri­co de uma pro­pri­e­da­de da ONG (Fazen­da Jofre Velho, Pan­ta­nal Nor­te; Poco­né-MT) con­tra o ata­que a bovi­nos pelas onças-pin­ta­das no Pan­ta­nal e tam­bém em pro­pri­e­da­des pecuá­ri­as de outras regiões do País.

Para este pro­je­to, foram ele­tri­fi­ca­dos três pique­tes nas pro­xi­mi­da­des da sede da fazen­da, em área de 20 hec­ta­res. Nes­ses pique­tes são man­ti­dos gru­pos de ani­mais mais vul­ne­rá­veis, como bezer­ros recém-des­ma­ma­dos.

“As cer­cas elé­tri­cas repre­sen­tam um efi­caz meio não letal para evi­tar o con­fron­to entre os pro­du­to­res rurais e as onças-pin­ta­das”, obser­va Gui­lher­me Vian­na, geren­te de negó­ci­os da Bel­go Beka­ert Ara­mes, e Eli­as Pela­chim, res­pon­sá­vel téc­ni­co da Spe­ed Right Cer­cas Elé­tri­cas, tam­bém par­cei­ra do pro­je­to.

Rolar para cima