É a ter­cei­ra edi­ção do Ide­as for Milk, lide­ra­do pela Embra­pa

Assim como as fin­te­chs inva­di­ram o setor finan­cei­ro, a visi­bi­li­da­de das agte­chs, ou star­tups do agro­ne­gó­cio, vem aumen­tan­do dia­ri­a­men­te. O cam­po deman­da cada vez mais tec­no­lo­gia, em bus­ca de melhor pro­du­ti­vi­da­de e mai­or ren­da para o pro­du­tor rural. Um exem­plo é o setor de lei­te, cujo fatu­ra­men­to total da cadeia pro­du­ti­va che­ga a R$ 70 bilhões ao ano, e que tem na ino­va­ção uma alter­na­ti­va para impul­si­o­nar seu cres­ci­men­to de for­ma sau­dá­vel.

“A mar­gem do negó­cio do lei­te é peque­na e toda tec­no­lo­gia vol­ta­da a melho­rar a pre­ci­são des­sa cadeia é bem-vin­da. Isso reduz os cus­tos e aumen­ta a qua­li­da­de do pro­du­to”, diz o che­fe-geral da Embra­pa Gado de Lei­te, Pau­lo Mar­tins.

A Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Star­tup (ABS­tar­tups) esti­ma que exis­tem atu­al­men­te 391 agte­chs no País, de um uni­ver­so de 6.329 star­tups. Como a pene­tra­ção do agro­ne­gó­cio no mer­ca­do bra­si­lei­ro de tec­no­lo­gia da infor­ma­ção ain­da é mui­to bai­xa e há neces­si­da­de de ampli­ar o aces­so do setor a essas ino­va­ções, o enten­di­men­to é que exis­tem inú­me­ras opor­tu­ni­da­des para quem dese­ja empre­en­der na área.

Um exem­plo está na cadeia do lei­te. A área exi­ge mui­ta pro­fis­si­o­na­li­za­ção e pro­du­ção em esca­la, o que aumen­ta a deman­da da cha­ma­da pecuá­ria de pre­ci­são. E quem se ante­ci­par às ten­dên­ci­as pode se apro­vei­tar do momen­to pro­pí­cio.

Foi pen­san­do nes­te cená­rio que a Embra­pa Gado de Lei­te ide­a­li­zou o Ide­as for Milk, um desa­fio de star­tups vol­ta­das para o seg­men­to em que atua, cujas ins­cri­ções gra­tui­tas estão aber­tas até 28 de outu­bro pelo site http://www.ideasformilk.com.br/desafio-startups-2018/inscricao. A com­pe­ti­ção naci­o­nal tem como foco empre­en­de­do­res com idei­as ino­va­do­ras base­a­das em softwa­res web, apli­ca­ti­vos mobi­le ou solu­ções em hard­ware, incluin­do inter­net das coi­sas, para os diver­sos seto­res pro­du­ti­vos da cadeia do lei­te. Este é o ter­cei­ro ano do even­to, que des­sa vez será rea­li­za­do em São Pau­lo, depois de já ter pas­sa­do por Bra­sí­lia (DF) e Juiz de Fora (MG).

“O Ide­as for Milk teve um papel bem rele­van­te para nós. Quan­do par­ti­ci­pa­mos, já tínha­mos a empre­sa, mas está­va­mos no mer­ca­do de uma manei­ra bas­tan­te embri­o­ná­ria. O Ide­as for Milk  ser­viu para revo­lu­ci­o­nar o que enten­día­mos sobre lei­te, sobre vacas. Conhe­ce­mos mui­ta gen­te e fize­mos con­ta­tos impor­tan­tes. Ele tem tudo para cres­cer a cada ano e se tor­nar um dos gran­des even­tos de tec­no­lo­gia do Bra­sil”, diz o sócio-fun­da­dor da Cow­med, Leo­nar­do Gue­des.

A empre­sa foi a segun­da colo­ca­da no Desa­fio de Star­tups 2017, ain­da com o nome “Smart­Farm – Tra­du­tor de Vacas”.  A Cow­med pro­duz uma colei­ra que moni­to­ra parâ­me­tros com­por­ta­men­tais das vacas liga­dos a saú­de e repro­du­ção, e emi­te aler­tas via apli­ca­ti­vo de celu­lar e soft­ware rela­ci­o­na­dos a saú­de, cio e nutri­ção.

“Fica­mos visi­vel­men­te mais conhe­ci­dos e ganha­mos reper­cus­são e visi­bi­li­da­de em ter­mos de mar­ke­ting e ven­das. Com cer­te­za abso­lu­ta tive­mos mais resul­ta­dos depois da nos­sa par­ti­ci­pa­ção. Mui­ta gen­te que nos conhe­ce foi a par­tir do Ide­as for Milk”, afir­ma Gue­des.

O obje­ti­vo da Embra­pa é que o Ide­as for Milk cum­pra o papel de cri­ar uma nova opor­tu­ni­da­de no mer­ca­do para o públi­co com inte­res­se na cadeia do lei­te e ampli­ar o ecos­sis­te­ma de ino­va­ção, envol­ven­do um gran­de núme­ro de empre­sas e enti­da­des.  Mar­tins garan­te que a Embra­pa e as empre­sas do setor lei­tei­ro estão inte­res­sa­das no desen­vol­vi­men­to tec­no­ló­gi­co e na valo­ri­za­ção das idei­as.

“Uma star­tup que par­ti­ci­par do even­to pode ganhar o mun­do. Quem ava­lia essas empre­sas são pro­du­to­res e empre­sá­ri­os do setor com uma visão dinâ­mi­ca e ino­va­do­ra. É uma visi­bi­li­da­de ini­gua­lá­vel”, diz Mar­tins. A tec­no­lo­gia apli­ca­da no Bra­sil pode ser repli­ca­da inter­na­ci­o­nal­men­te, como em paí­ses da Amé­ri­ca Lati­na ou da Áfri­ca, lem­bra.

Rede de par­cei­ros – Jun­to com a Embra­pa, são rea­li­za­do­res do Ide­as for Milk: Bov­Con­trol, Qra­nio, Kick Ven­tu­re, Agri­point, Car­rus­ca Ino­va­ti­on, Tex­to Comu­ni­ca­ção. Em três anos, já atraiu mais de 70 par­cei­ros, como Nes­tlé, Viva­Lác­te­os, Micro­soft, Sebrae, Tim e reno­ma­das ins­ti­tui­ções de ensi­no supe­ri­or.

Rolar para cima