Boa nutrição de bezerras é fundamental para obtenção de vacas leiteiras

Boa nutrição de bezerras é fundamental para obtenção de vacas leiteiras saudáveis e mais produtivas

Todo bom pro­du­tor de lei­te sabe que para ter vacas lei­tei­ras sau­dá­veis e pro­du­ti­vas no plan­tel é pre­ci­so inves­tir na cri­a­ção de bezer­ras. Segun­do o geren­te téc­ni­co da Aus­ter Nutri­ção Ani­mal, Bru­no Pas­co­al, “a fase de alei­ta­men­to é a de mai­or efi­ci­ên­cia ali­men­tar. Nes­te perío­do o ani­mal for­ma as prin­ci­pais estru­tu­ras rela­ci­o­na­das à sua sobre­vi­da e desem­pe­nho. Por isso, as bezer­ras que rece­bem melho­res cui­da­dos nutri­ci­o­nais, de sani­da­de e bem-estar des­de cedo res­pon­de­rão, em médio e lon­go pra­zo, com mai­or pro­du­ção de leite”.

O cui­da­do com a bezer­ra come­ça na ofer­ta do colos­tro. Esse ali­men­to é a mais impor­tan­te for­ma de trans­mis­são de imu­ni­da­de da vaca para a cria, já que em bovi­nos não ocor­re a trans­mis­são de imu­ni­da­de trans­pla­cen­tá­ria. “Tra­ta-se, por­tan­to, do pri­mei­ro ali­men­to do ani­mal e deve ser ofer­ta­do o mais pró­xi­mo pos­sí­vel do momen­to do nas­ci­men­to, com o volu­me de pelo menos 10% do seu peso vivo. Um ani­mal que nas­ce com 40 kg, por exem­plo, deve rece­ber pelo menos qua­tro litros de colos­tro”, ori­en­ta Pascoal.

Além do volu­me ofer­ta­do e da agi­li­da­de no mane­jo pós-nas­ci­men­to da bezer­ra, o pro­du­tor deve se aten­tar à qua­li­da­de do colos­tro. Usan­do fer­ra­men­tas sim­ples de afe­ri­ção de den­si­da­de, como um colos­trô­me­tro ou um refratô­me­tro, o pro­du­tor con­se­gue che­car a den­si­da­de e assim garan­tir quan­ti­da­de de imu­no­glo­bu­li­nas pre­sen­tes no colos­tro. “É pos­sí­vel ain­da tirar a pro­va da efi­ci­ên­cia do pro­ces­so de colos­tra­gem fazen­do afe­ri­ção da con­cen­tra­ção de pro­teí­na séri­ca no soro san­guí­neo da bezer­ra por meio de um refratô­me­tro” acres­cen­ta Pascoal.

Con­su­mo de lei­te e ganho de peso

O con­su­mo de lei­te é essen­ci­al para a bezer­ra recém-nas­ci­da. Assim como qual­quer mamí­fe­ro, ela é 100% depen­den­te do lei­te para sobre­vi­ver e é atra­vés dele que rece­be­rá pro­teí­nas, gor­du­ras e mine­rais neces­sá­ri­os na pri­mei­ra fase de vida. “Antes das pri­mei­ras três sema­nas de vida, o ani­mal não é capaz de dige­rir outra fon­te de ali­men­to”, escla­re­ce Pascoal.


A nutri­ção é con­si­de­ra­da a mais impor­tan­te quan­do fala­mos sobre o ganho de peso, mas está inti­ma­men­te atre­la­da à saú­de, ao mane­jo e ao bem-estar. “Um ani­mal que tem todas essas engre­na­gens fun­ci­o­nan­do pode che­gar facil­men­te entre 900 gra­mas e 1 kg de ganho médio por dia, enquan­to outros com defi­ci­ên­cia em algum des­ses pon­tos pode ter desem­pe­nho infe­ri­or a 500 gra­mas de ganho médio diá­rio. Para isso, é impor­tan­te que o pro­du­tor sem­pre acom­pa­nhe de per­to o mane­jo nutri­ci­o­nal, de saú­de e bem-estar e meça peri­o­di­ca­men­te o ganho de peso dos ani­mais. O mane­jo inten­si­vo na nutri­ção, com alei­ta­men­to e suple­men­ta­ção dire­ci­o­na­dos para melho­ria de desem­pe­nho, aumen­ta subs­tan­ci­al­men­te o ganho de peso das bezer­ras, melho­ran­do seu desem­pe­nho e tor­nan­do-as mais pro­du­ti­vas no futu­ro”, ori­en­ta o especialista.

A Aus­ter Nutri­ção Ani­mal con­ta, em seu port­fó­lio, com Nat­ti­milk Pro­tein Plus. “Esse subs­ti­tu­to lác­teo dire­ci­o­na a die­ta das bezer­ras para a melhor for­ma­ção de mas­sa magra, ou seja, o cres­ci­men­to de teci­dos oste­o­mus­cu­la­res e redu­ção da depo­si­ção de gor­du­ra em estru­tu­ras impor­tan­tes para o cres­ci­men­to e desem­pe­nho des­ses ani­mais. Ele aju­da a ter bezer­ras com alta per­for­man­ce” expli­ca Pas­co­al. O Nat­ti­milk Pro­tein Plus con­ta em sua com­po­si­ção com pro­teí­na de ori­gem lác­tea de altís­si­ma diges­ti­bi­li­da­de, mine­rais, vita­mi­nas e pro­bió­ti­cos, impor­tan­tís­si­mos para o cres­ci­men­to, for­ma­ção de teci­dos, imu­ni­da­de e desem­pe­nho do animal.

O espe­ci­a­lis­ta refor­ça que a saú­de e o bem-estar do ani­mal tam­bém depen­dem de outros fato­res, como higi­e­ne de ins­ta­la­ções e equi­pa­men­tos e mane­jo de for­ma geral. “Caso todos esses fato­res extras este­jam bem, a bezer­ra bem nutri­da está pro­te­gi­da con­tra doen­ças, como diar­rei­as e pneu­mo­ni­as”, fina­li­za o téc­ni­co da Auster.

Fon­te: Asses­so­ria de comu­ni­ca­ção da Aus­ter Nutri­ção Animal

Rolar para cima