Bimeda comemora 10 anos no Brasil e anuncia investimentos para ampliação de fábrica - Balde Branco

Na pri­mei­ra déca­da de atu­a­ção no mer­ca­do bra­si­lei­ro, indús­tria vete­ri­ná­ria aumen­ta fatu­ra­men­to em cin­co vezes e anun­cia inves­ti­men­tos de R$ 10 milhões em ampli­a­ção da fábri­ca em Mon­te Mor (SP)

 

Bimeda comemora 10 anos no Brasil e anuncia investimentos para ampliação de fábrica

No mês de maio, a Bime­da, fabri­can­te, comer­ci­an­te e dis­tri­bui­do­ra de pro­du­tos far­ma­cêu­ti­cos vete­ri­ná­ri­os e de nutri­ção ani­mal, com­ple­ta 10 anos de atu­a­ção no Bra­sil com um cres­ci­men­to de cin­co vezes no fatu­ra­men­to. Para dar supor­te a esse cres­ci­men­to que con­ti­nua, a empre­sa anun­cia inves­ti­men­tos para ampli­a­ção de sua fábri­ca loca­li­za­da em Mon­te Mor, no inte­ri­or de São Paulo.

Fun­da­da na Irlan­da em 1960, a Bime­da ini­ci­ou suas ati­vi­da­des no Bra­sil em 2011 após a aqui­si­ção de 51% da Mogi­vet. Em 2015, a Bime­da com­prou o res­tan­te da Mogi­vet, pas­san­do a ser deten­to­ra da tota­li­da­de do negó­cio no País e hoje con­ta com uma linha de pro­du­tos foca­da nas áre­as de pro­du­ção ani­mal, equi­nos e peque­nos ani­mais. “Come­ça­mos peque­nos, fomos cres­cen­do, e hoje o Bra­sil é o segun­do mer­ca­do mais impor­tan­te para a empre­sa no mun­do, con­si­de­ra­do um dos prin­ci­pais veto­res de cres­ci­men­to da com­pa­nhia. Fomos cons­truin­do e con­quis­tan­do esse espa­ço ao lon­go dos anos e ago­ra fare­mos inves­ti­men­tos para ampli­ar nos­sa plan­ta e a capa­ci­da­de de pro­du­ção por aqui”, con­ta o médi­co-vete­ri­ná­rio e Dire­tor Comer­ci­al da Bime­da Bra­sil, José Mau­ro Ber­to­li­ni (foto).

No ano em que come­mo­ra sua pri­mei­ra déca­da em solo bra­si­lei­ro, a empre­sa regis­tra um cres­ci­men­to de cin­co vezes no fatu­ra­men­to, con­si­de­ran­do ape­nas as ven­das no mer­ca­do inter­no, sem con­tar as expor­ta­ções. O cres­ci­men­to nes­se perío­do se deu com aumen­to de port­fó­lio, da base de cli­en­tes e de área de cobertura.

“A Bime­da Bra­sil é um dos prin­ci­pais players no mer­ca­do de anti­pa­ra­si­tá­ri­os e no seg­men­to de anti­bió­ti­cos e está entre as cin­co empre­sas de mai­or cres­ci­men­to no mer­ca­do bra­si­lei­ro no setor de rumi­nan­tes. Para dar supor­te a esse cres­ci­men­to, vamos ampli­ar nos­sa fábri­ca de for­ma a mais do que dupli­car nos­sa capa­ci­da­de de pro­du­ção”, anun­cia Bertolini.

A empre­sa vai inves­tir cer­ca de R$ 10 milhões para ampli­ar a fábri­ca de anti­pa­ra­si­tá­ri­os em Mon­te Mor, aumen­tan­do em 120% a capa­ci­da­de de pro­du­ção e a de arma­ze­na­men­to de maté­ria-pri­ma e pro­du­to aca­ba­do entre 300 e 500%. A plan­ta indus­tri­al atu­al­men­te con­ta com cin­co pré­di­os, tota­li­zan­do 2.400m² de área cons­truí­da, onde se encon­tram as áre­as admi­nis­tra­ti­vas, pes­qui­sa e desen­vol­vi­men­to, con­tro­le de qua­li­da­de, arma­zéns e ins­ta­la­ções de fabri­ca­ção e onde atu­am 110 colaboradores.

Mer­ca­do inter­no e exportação

A ampli­a­ção da fábri­ca será foca­da para aten­der o aumen­to da deman­da por anti­pa­ra­si­tá­ri­os, tan­to para o mer­ca­do local quan­to para expor­ta­ção, já que a uni­da­de bra­si­lei­ra for­ne­ce pro­du­tos para paí­ses da Amé­ri­ca do Sul e Cen­tral, Méxi­co e para outras uni­da­des da Bime­da no mundo.

Além do aten­di­men­to des­sa deman­da, a ampli­a­ção da fábri­ca deve impul­si­o­nar o aten­di­men­to de pro­du­ção ter­cei­ri­za­da, seg­men­to em que a Bime­da é reco­nhe­ci­da pela qua­li­da­de do seu pro­ces­so produtivo.

Com cer­ti­fi­ca­ção ISO 9001 – 2015, con­quis­ta­da em 2018, a Bime­da se pre­o­cu­pa com a qua­li­da­de e con­tro­le de todos os pro­ces­sos de fabri­ca­ção, garan­tin­do pro­du­tos de alta qua­li­da­de de for­ma con­sis­ten­te. “Con­se­guir essa cer­ti­fi­ca­ção foi mui­to impor­tan­te para nós. Envol­veu mui­to tra­ba­lho, esfor­ço e dedi­ca­ção”, refor­ça José Mauro.

Cres­ci­men­to mes­mo com a pandemia

No últi­mo ano, mes­mo no cená­rio atu­al de pan­de­mia, a Bime­da con­se­guiu cres­cer no mer­ca­do e aumen­tar a pro­du­ção. No mês de abril des­te ano, a empre­sa regis­trou um cres­ci­men­to de 40% em rela­ção ao mes­mo período.

“Redo­bra­mos os cui­da­dos de higi­e­ne, cum­prin­do todos os pro­to­co­los sani­tá­ri­os. Na ver­da­de já tínha­mos um cui­da­do rigo­ro­so, com todos os EPIs, exa­ta­men­te por ser­mos uma far­ma­cêu­ti­ca vete­ri­ná­ria. Então só pre­ci­sa­mos ampli­ar alguns pon­tos. Rea­li­za­mos reu­niões diá­ri­as para acom­pa­nhar e pro­te­ger os nos­sos cola­bo­ra­do­res e não tive­mos nenhum caso de trans­mis­são den­tro do ambi­en­te da fábri­ca. Des­sa manei­ra, não foi pre­ci­so fechar nenhu­ma linha de pro­du­ção e pude­mos aten­der os nos­sos cli­en­tes, com resul­ta­dos óti­mos e um cres­ci­men­to aci­ma do pla­ne­ja­do”, con­ta o Dire­tor Comer­ci­al, que com­ple­ta “Esta­mos cres­cen­do de for­ma orgâ­ni­ca e sem­pre bus­can­do novas oportunidades”.

Fon­te: Asses­so­ria de Comu­ni­ca­ção da Bimeda 

 

Rolar para cima