fbpx

Reu­ni­dos na manhã des­ta ter­ça-fei­ra (26/01), inte­gran­tes do cole­gi­a­do vali­da­ram a suges­tão de meto­do­lo­gia para o inde­xa­dor desen­vol­vi­da pela Ema­ter em par­ce­ria com o Depar­ta­men­to de Eco­no­mia e Esta­tís­ti­ca (DEE) do gover­no do Estado

Avança elaboração de índice de custo de produção do leite no RS 

Opera­ci­o­na­li­zan­do um pro­je­to que há anos vem sen­do ges­ta­do, foi apre­sen­ta­do ao Con­se­lei­te o pla­no de cri­a­ção de um inde­xa­dor de cus­to de pro­du­ção do lei­te no Rio Gran­de do Sul. Reu­ni­dos na manhã des­ta ter­ça-fei­ra (26/01), inte­gran­tes do cole­gi­a­do vali­da­ram a suges­tão de meto­do­lo­gia para o inde­xa­dor desen­vol­vi­da pela Ema­ter em par­ce­ria com o Depar­ta­men­to de Eco­no­mia e Esta­tís­ti­ca (DEE) do gover­no do Esta­do, anti­ga FEE. O tra­ba­lho está sen­do capi­ta­ne­a­do pelo eco­no­mis­ta e pes­qui­sa­dor do DEE Rodri­go Feix e pelo geren­te  téc­ni­co da Ema­ter, Jai­me Ries. A par­tir de ago­ra, a pro­po­si­ção entra em fase de ajus­te fino.

A ideia é ter um levan­ta­men­to robus­to com dados cole­ta­dos em todo o Rio Gran­de do Sul. O inde­xa­dor segui­rá o sis­te­ma de outros indi­ca­do­res de pre­ço. A expec­ta­ti­va é que, em um pri­mei­ro momen­to, o levan­ta­men­to seja ava­li­a­do inter­na­men­te, e que a divul­ga­ção ofi­ci­al ocor­ra ain­da em 2021. “Esse é um pro­je­to anti­go den­tro do Con­se­lei­te e será mais uma fer­ra­men­ta, jun­to com o valor de refe­rên­cia, para que o setor pos­sa ava­li­ar e pla­ne­jar as suas ações e auxi­li­ar prin­ci­pal­men­te o pro­du­tor que tan­to neces­si­ta de uma pre­vi­si­bi­li­da­de”, colo­cou o secre­tá­rio-exe­cu­ti­vo do Sin­di­lat, Dar­lan Palharini.

A notí­cia, infor­mou o pre­si­den­te do Con­se­lei­te, Rodri­go Riz­zo, é um gran­de avan­ço na com­pre­en­são sobre a ren­ta­bi­li­da­de da ati­vi­da­de lei­tei­ra. “Tínha­mos duas metas cla­ras quan­do assu­mi­mos o Con­se­lei­te: abrir novos mer­ca­dos no exte­ri­or e a revi­são dos dados da Câma­ra Téc­ni­ca. Acho que avan­ça­mos bastante”.

Valor de referência

Duran­te a reu­nião do Con­se­lei­te, tam­bém foi divul­ga­do o valor de refe­rên­cia pro­je­ta­do para o lei­te no Rio Gran­de do Sul. De acor­do com dados apu­ra­dos pela UPF, o litro no mês de janei­ro foi esti­ma­do em R$ 1,4391, 4,92% abai­xo do con­so­li­da­do em dezem­bro de 2020 (R$ 1,5135).  O pro­fes­sor da UPF Mar­co Anto­nio Mon­toya pon­tua que, ape­sar da redu­ção, o indi­ca­dor está aci­ma dos pata­ma­res his­tó­ri­cos para o mês de janei­ro. “Nos últi­mos três meses, os valo­res estão pra­ti­ca­men­te está­veis”, constatou.

A ten­dên­cia é que o mer­ca­do se man­te­nha com esta­bi­li­da­de. Com a manu­ten­ção da pan­de­mia, o tele­tra­ba­lho per­sis­te com impac­to dire­to no con­su­mo. Outro fator que pre­o­cu­pa é o encer­ra­men­to do auxí­lio emer­gen­ci­al às famí­li­as em difi­cul­da­de em fun­ção da Covid-19. “O cená­rio está deli­ca­do. Esta­mos com valo­res mais ele­va­dos, mas, por outro lado, os cus­tos tam­bém estão impac­tan­do o pro­du­tor e a indús­tria”, aler­tou o vice-pre­si­den­te do Con­se­lei­te, Ale­xan­dre Guer­ra, con­fi­an­te de que a vol­ta às aulas virá com a reto­ma­da do consumo.

Fon­te: Conseleite/RS

Rolar para cima