ASBIA lança nova edição do Manual de Inseminação Artificial - Balde Branco

A publi­ca­ção ensi­na como apli­car cor­re­ta­men­te a téc­ni­ca e aler­ta para a impor­tân­cia de uti­li­zar sêmen de qua­li­da­de para garan­tir mai­or índi­ce de pre­nhez no rebanho


O uso da Inse­mi­na­ção Arti­fi­ci­al (IA) em bovi­nos vem cres­cen­do no Bra­sil e já atin­ge 12 milhões de fême­as em ida­de repro­du­ti­va no reba­nho naci­o­nal. Ape­sar de ser uma téc­ni­ca bara­ta e aces­sí­vel, se não for apli­ca­da da for­ma cor­re­ta, pode ter o resul­ta­do final com­pro­me­ti­do. O aler­ta é da Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Inse­mi­na­ção Arti­fi­ci­al (ASBIA), que aca­ba de lan­çar a nova edi­ção do “Manu­al de Inse­mi­na­ção Arti­fi­ci­al em Bovi­nos”. A publi­ca­ção é um guia téc­ni­co vol­ta­do para pecu­a­ris­tas, inse­mi­na­do­res e pro­fis­si­o­nais inte­res­sa­dos em domi­nar a apli­ca­ção da IA. “A implan­ta­ção de um pro­gra­ma de inse­mi­na­ção na fazen­da requer bai­xo inves­ti­men­to, pois o sêmen é um pro­du­to de valor bas­tan­te aces­sí­vel. O pri­mei­ro pas­so, e o mais impor­tan­te, é con­tar com a ori­en­ta­ção de um téc­ni­co, que vai mon­tar o pro­gra­ma e capa­ci­tar a equi­pe da fazen­da sobre a impor­tân­cia da obser­va­ção de cios, dos horá­ri­os da inse­mi­na­ção, dos cui­da­dos no manu­seio, des­con­ge­la­men­to e apli­ca­ção do sêmen”, diz o pre­si­den­te da ASBIA, Sér­gio Saud.

O Manu­al de Inse­mi­na­ção Arti­fi­ci­al em Bovi­nos traz infor­ma­ções sobre a his­tó­ria da IA, que come­çou a ser usa­da em esca­la comer­ci­al no País na déca­da de 1970, o mane­jo cor­re­to do reba­nho, as ins­ta­la­ções neces­sá­ri­as, os cui­da­dos sani­tá­ri­os, os equi­pa­men­tos neces­sá­ri­os e o pas­so a pas­so da téc­ni­ca. “Uma fêmea pro­du­ti­va e lucra­ti­va deve ter um bezer­ro ao pé e outro no ven­tre. Se não for assim, a ren­ta­bi­li­da­de da fazen­da esta­rá com­pro­me­ti­da”, des­ta­ca Saud. Segun­do ele, o mai­or desa­fio da enti­da­de é aumen­tar o uso da IA no País, pois, atu­al­men­te, 68 milhões de fême­as em ida­de repro­du­ti­va ain­da são aca­sa­la­das com tou­ros sem valor gené­ti­co, o que reduz em mui­to a pro­du­ti­vi­da­de e a qua­li­da­de da car­ne e do lei­te pro­du­zi­dos no Brasil.

A ASBIA vem tra­ba­lhan­do para fomen­tar o uso das téc­ni­cas de IA e IATF. Além da pro­du­ção de mate­ri­al téc­ni­co, como o Manu­al, a enti­da­de tem divul­ga­do os cur­sos de inse­mi­na­ção que são minis­tra­dos pelas empre­sas asso­ci­a­das. “O inse­mi­na­dor é peça fun­da­men­tal no pro­gra­ma de IA. Os resul­ta­dos do tra­ba­lho depen­dem em gran­de par­te de sua habi­li­da­de e de sua res­pon­sa­bi­li­da­de pro­fis­si­o­nal”, afir­ma o pre­si­den­te da ASBIA, que espe­ra fechar o ano com um cres­ci­men­to nas ven­das de sêmen assim como ocor­reu no ano pas­sa­do. Em 2017, foram comer­ci­a­li­za­das 13.768.044 doses de sêmen, 5,5% aci­ma de 2016. Já no pri­mei­ro semes­tre de 2018, foram qua­se seis milhões, com um cres­ci­men­to de 9% em rela­ção ao mes­mo perío­do de 2017.

Onde encon­trar – O Manu­al de Inse­mi­na­ção Arti­fi­ci­al em Bovi­nos da ASBIA está dis­po­ní­vel na sede da enti­da­de, em Uberaba/MG, ou pode ser soli­ci­ta­do por e‑mail asbia@asbia.org.br.

Rolar para cima