Asbia estreita comunicação com governo para promover desenvolvimento da pecuária bovina nacional - Balde Branco
Sipe­a­gro e LPCO foram prin­ci­pais assun­tos de reu­niões entre a asso­ci­a­ção e Mapa; setor da inse­mi­na­ção arti­fi­ci­al regis­trou for­te cres­ci­men­to em 2021
 

Asbia estreita comunicação com governo para promover desenvolvimento da pecuária bovina nacional 

Nesta sema­na, a Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra da Inse­mi­na­ção Arti­fi­ci­al (ASBIA) reu­niu-se com repre­sen­tan­tes da Secre­ta­ria de Defe­sa Agro­pe­cuá­ria (SDA) e outros órgãos liga­dos ao Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra, Pecuá­ria e Abas­te­ci­men­to (Mapa), no intui­to de estrei­tar a rela­ção entre as enti­da­des e via­bi­li­zar ações que aten­dam às neces­si­da­des dos seto­res de melho­ra­men­to gené­ti­co e agro­pe­cuá­ria.

A ASBIA foi repre­sen­ta­da pelo seu geren­te exe­cu­ti­vo, Cris­ti­a­no Bote­lho. Entre as auto­ri­da­des pre­sen­tes no encon­tro, des­ta­cam-se o secre­tá­rio exe­cu­ti­vo do Mapa, Mar­cos Mon­tes Cor­dei­ro; o secre­tá­rio adjun­to da SDA, Már­cio Rezen­de; o dire­tor do Depar­ta­men­to de Saú­de Ani­mal da SDA, Geral­do Mora­es; o dire­tor do Depar­ta­men­to de Ser­vi­ços Téc­ni­cos (DTEC), José Luís Ravag­na­ni; o coor­de­na­dor de Assun­tos Espe­ci­ais, Jamil Gomes de Sou­za, e o coor­de­na­dor do Sis­te­ma de Vigi­lân­cia Agro­pe­cuá­ria Inter­na­ci­o­nal, Fábio Flo­rên­cio Fer­nan­des.

De acor­do com Cris­ti­a­no, as duas deman­das prin­ci­pais que foram tra­ta­das em Bra­sí­lia foram rela­ti­vas ao Sipe­a­gro (Sis­te­ma Inte­gra­do de Pro­du­tos e Esta­be­le­ci­men­tos Agro­pe­cuá­ri­os) e ao LPCO (Licen­ças, Per­mis­sões, Cer­ti­fi­ca­dos e Outros Docu­men­tos). “O intui­to é encon­trar uma estra­té­gia em con­jun­to com o Mapa para faci­li­tar o regis­tro dos tou­ros que estão em cole­ta nas cen­trais de gené­ti­ca, bem como agi­li­zar os pro­ces­sos de impor­ta­ção de gené­ti­ca”, comen­ta o geren­te.

Cris­ti­a­no expli­ca, ain­da, que a ASBIA está enga­ja­da na mis­são de sen­si­bi­li­zar o Minis­té­rio da Eco­no­mia para a impor­tân­cia dos inves­ti­men­tos em gené­ti­ca para con­tri­buir não só para o desen­vol­vi­men­to da pecuá­ria naci­o­nal, mas de todo o setor econô­mi­co.

“Exis­te uma difi­cul­da­de logís­ti­ca em rea­li­zar todos os regis­tros de tou­ros que pre­ci­sa­mos, mas essa é uma ação essen­ci­al para pro­mo­ver o cres­ci­men­to da IA no Bra­sil. Qual­quer inves­ti­men­to em gené­ti­ca é posi­ti­vo, já que ela é o úni­co insu­mo de efei­to per­ma­nen­te que o pro­du­tor pode adqui­rir para a sua fazen­da. Ani­mais gene­ti­ca­men­te melho­res pos­si­bi­li­tam a pro­du­ção de mais car­ne e lei­te, sem neces­si­da­de de aumen­tar a área, em menor tem­po e com menos recur­sos. Isso favo­re­ce toda a cadeia pro­du­ti­va, do peque­no ao gran­de pro­du­tor, pas­san­do pelas auto­ri­da­des e pelos con­su­mi­do­res finais”, com­ple­ta.

Após um ano mar­ca­do pelo cres­ci­men­to impres­si­o­nan­te do setor de gené­ti­ca, o geren­te res­sal­ta as pre­vi­sões posi­ti­vas para 2022. “Nos pri­mei­ros nove meses de 2021, as expor­ta­ções de gené­ti­ca bra­si­lei­ra aumen­ta­ram 84%. A inse­mi­na­ção arti­fi­ci­al está pre­sen­te em 77,6% dos muni­cí­pi­os naci­o­nais, e a cole­ta de doses cres­ceu 70%. É um cres­ci­men­to que tem tudo para ace­le­rar mas, para isso, pre­ci­sa­mos do apoio do gover­no para con­ti­nu­ar con­tri­buin­do para o desen­vol­vi­men­to da agro­pe­cuá­ria naci­o­nal e para a mis­são de ali­men­tar o mun­do”, fina­li­za.

Fon­te: ASBIA