Aplicativos facilitam a gestão da pecuária leiteira - Balde Branco

São vári­as as novi­da­des em apli­ca­ti­vos e softwa­res vol­ta­dos para a pecuá­ria de lei­te. Cabe ao pro­du­tor iden­ti­fi­car o que mais se ade­qua ao seu projeto

Por Beth Melo

Com os avan­ços da tec­no­lo­gia da infor­ma­ção (TI), os dis­po­si­ti­vos móveis estão cada vez mais em evi­dên­cia e, pela faci­li­da­de de uti­li­za­ção, vêm con­quis­tan­do usuá­ri­os, inde­pen­den­te­men­te da ati­vi­da­de. Gra­ças à dis­se­mi­na­ção des­sas fer­ra­men­tas no meio rural, a cada dia é mais comum obser­var pro­du­to­res de lei­te com smartpho­nes ou tablets, aces­san­do apli­ca­ti­vos (apps) que ofe­re­cem uma gama de infor­ma­ções que faci­li­tam a ges­tão da atividade.

Na prá­ti­ca, os apli­ca­ti­vos estão trans­for­man­do o geren­ci­a­men­to do negó­cio, as tare­fas do dia a dia e o pla­ne­ja­men­to de ações na pro­pri­e­da­de. Mui­tos apps oti­mi­zam o tem­po e impul­si­o­nam, indi­re­ta­men­te, a pro­du­ti­vi­da­de. E por se tra­tar de uma tec­no­lo­gia de cus­to aces­sí­vel ou até gra­tui­ta, essas fer­ra­men­tas têm atraí­do inclu­si­ve peque­nos produtores.

Lean­dro S. Kal­bus­ch, da Uni­da­de de Aten­di­men­to Indi­vi­du­al do Sebrae-SC e coor­de­na­dor do Sis­te­ma de Inte­li­gên­cia Seto­ri­al (SIS), apon­ta algu­mas van­ta­gens dos apps. “Pode­mos lis­tar o moni­to­ra­men­to do gado, o geren­ci­a­men­to do reba­nho, a ava­li­a­ção da pro­du­ção indi­vi­du­al de cada ani­mal, a aná­li­se da qua­li­da­de do lei­te, o con­tro­le da vaci­na­ção, a aná­li­se dos dados de saú­de, aces­so a ban­cos de inse­mi­na­ção e o geren­ci­a­men­to de cus­tos e lucros da ati­vi­da­de”, menciona.

Na opi­nião dele, os apps estão mudan­do a roti­na das pro­pri­e­da­des lei­tei­ras. “Na medi­da em que o pro­du­tor ade­re a essa tec­no­lo­gia, oti­mi­za pro­ces­sos pro­du­ti­vos, reduz des­pe­sas e tem o seu pro­du­to valo­ri­za­do”. É o que pro­va Cláu­dio Noti­ni, pro­du­tor de lei­te em San­ta­na de Pira­pa­ma-MG, ao lan­çar, duran­te a Mega­lei­te 2016, o 4milk, apli­ca­ti­vo gra­tui­to vol­ta­do para a pecuá­ria de lei­te, com foco na ges­tão do rebanho.

A ini­ci­a­ti­va repre­sen­ta o resul­ta­do de dois anos de tra­ba­lho e inves­ti­men­tos de R$ 1,5 milhão. Para ele, tra­ta-se de um apro­vei­ta­men­to de seu conhe­ci­men­to em soft­ware, quan­do era sócio da RM Sis­te­mas, empre­sa adqui­ri­da pela TOTVS dez anos atrás, com a expe­ri­ên­cia adqui­ri­da na ges­tão de sua Fazen­da Jar­dim. Na prá­ti­ca, repre­sen­ta um casa­men­to per­fei­to, resul­ta­do da exper­ti­se em tec­no­lo­gia e na ati­vi­da­de leiteira.

Noti­ni con­ta que, na épo­ca em que come­çou o seu pro­je­to de lei­te, os pro­gra­mas de geren­ci­a­men­to do reba­nho não aten­di­am às suas neces­si­da­des. Com uma ideia em men­te – desen­vol­ver um mode­lo de negó­cio gra­tui­to, capaz de fazer uma revo­lu­ção na vida do pro­du­tor –, ele cri­ou uma ver­da­dei­ra pla­ta­for­ma. “Colo­quei os dados em uma pla­ni­lha e adi­ci­o­nei uma fer­ra­men­ta modu­lar que pudes­se ser aces­sa­da por meio do celu­lar”, con­ta, acres­cen­tan­do que, antes de lan­çar, mos­trou a outras pes­so­as que se inte­res­sa­ram pela proposta.

Leia a ínte­gra des­ta maté­ria na edi­ção Bal­de Bran­co 622, de agos­to 2016

Rolar para cima