Amazonas: Investimento em genética está mudando o cenário - Balde Branco

Pro­je­to esta­du­al de incen­ti­vo à pro­du­ção lei­tei­ra pas­sa a for­ne­cer embriões da raça Giro­lan­do, que no ano pas­sa­do soma­ram 1.250 prenhezes

Por Luiz H. Pitombo

A pecuá­ria de lei­te repre­sen­ta, cada vez mais, uma impor­tan­te alter­na­ti­va econô­mi­ca aos peque­nos pro­du­to­res no esta­do do Ama­zo­nas. O gran­de desa­fio é ele­var a pro­du­ti­vi­da­de, que ain­da é mui­to bai­xa, o que exi­ge um con­jun­to de ações téc­ni­cas para supe­rar essa situ­a­ção. Den­tre elas, o melho­ra­men­to gené­ti­co e a nutri­ção dos ani­mais lei­tei­ros. Com esse esco­po, no ano pas­sa­do teve iní­cio um ver­da­dei­ro cho­que de gené­ti­ca atra­vés da trans­fe­rên­cia de embriões (TE).
A pre­ços aces­sí­veis foram con­tra­ta­das por pro­du­to­res 1.250 pre­nhe­zes de embriões de fecun­da­ção in vitro (FIV) de des­ta­ca­dos cri­a­tó­ri­os das raças Gir e Giro­lan­do, bene­fi­ci­an­do 63 pro­pri­e­da­des. O Sebrae- Ama­zo­nas está à fren­te do pro­je­to Con­sul­to­ria em Mane­jo e Recu­pe­ra­ção de Pas­ta­gens, que aten­deu em 2018 a um total de 99 pro­du­to­res e três lac­ti­cí­ni­os de seis muni­cí­pi­os (Auta­zes, Parin­tins, Apuí, Mani­co­ré, Mana­ca­pu­ru e Pre­si­den­te Figueiredo).
A meta nes­te ano é a de che­gar a 250 pro­pri­e­da­des aten­di­das pelo pro­je­to, que come­çou em 2013 e hoje se tor­nou o car­ro-che­fe na área rural dos tra­ba­lhos da enti­da­de no Esta­do, que tam­bém atua com pis­ci­cul­tu­ra, fru­ti­cul­tu­ra e orgâ­ni­cos, incluin­do o lei­te. A ati­vi­da­de aten­de à for­ma­ção de ren­da men­sal e traz a pos­si­bi­li­da­de de uso de áre­as meno­res e a recu­pe­ra­ção de pas­tos degra­da­dos, com o mane­jo adequado.
Uma pes­qui­sa do Sebrae sobre o mer­ca­do lác­teo no Esta­do mos­trou que a capi­tal, Manaus, com seus mais de dois milhões de habi­tan­tes, depen­de na mai­or par­te de deri­va­dos de outros esta­dos devi­do à bai­xa ofer­ta local. A situ­a­ção decor­re tan­to pela difi­cul­da­de logís­ti­ca de trans­por­te dos pro­du­tos regi­o­nais como pela pou­ca pro­du­ção. Em 2017, últi­mo dado ofi­ci­al dis­po­ní­vel pelo IBGE/PPM, o volu­me no Esta­do ficou em per­to de 43 milhões de litros de lei­te, com média anu­al por vaca de ape­nas 450 litros. 

—————————–
Leia a ínte­gra des­ta maté­ria na edi­ção Bal­de Bran­co 652, de abril 2019

Rolar para cima