fbpx

Trans­fe­rên­cia de embriões, fer­ti­li­za­ção in vitro, sêmen sexa­do e a cri­o­pre­ser­va­ção são fer­ra­men­tas que pas­sam a estar dis­po­ní­veis para os cri­a­do­res que pro­cu­ram alcan­çar obje­ti­vos espe­cí­fi­cos de pro­du­ção e reprodução

Alta investe em tecnologia de produção de embriões in vitro 

A Alta, com­pa­nhia espe­ci­a­li­za­da em melho­ra­men­to gené­ti­co de bovi­nos, pas­sa a inte­grar o mer­ca­do de embriões ao adqui­rir um port­fó­lio de tec­no­lo­gi­as, que leva­rá aos pecu­a­ris­tas solu­ções repro­du­ti­vas avan­ça­das para os reba­nhos e con­sul­to­ria téc­ni­ca espe­ci­a­li­za­da, refor­çan­do seu com­pro­mis­so na entre­ga de pro­du­tos e ser­vi­ços de alta qualidade.

Trans­fe­rên­cia de embriões, fer­ti­li­za­ção in vitro, sêmen sexa­do e a cri­o­pre­ser­va­ção são fer­ra­men­tas que pas­sam a estar dis­po­ní­veis para os cri­a­do­res que pro­cu­ram alcan­çar obje­ti­vos espe­cí­fi­cos de pro­du­ção e repro­du­ção. E o prin­ci­pal des­ta­que é a tec­no­lo­gia de cri­o­pre­ser­va­ção dos embriões em eti­le­no­gli­col pelo pro­ces­so exclu­si­vo de con­ge­la­men­to len­to, conhe­ci­do como Direct­Trans­fer (DT), que apre­sen­ta dados mui­to posi­ti­vos a cam­po, com resul­ta­dos con­sis­ten­tes e com­pro­va­dos em gran­des fazen­das. Com a téc­ni­ca já foi pos­sí­vel rea­li­zar mais de 20 mil trans­fe­rên­ci­as com resul­ta­dos aci­ma dos obser­va­dos no mer­ca­do, que serão inclu­si­ve divul­ga­dos nos mode­los comer­ci­ais da empresa. 

“Líder em melho­ra­men­to gené­ti­co bovi­no, não pode­ría­mos estar fora do mer­ca­do de embriões. Somos uma empre­sa com uma mis­são impor­tan­te, que vai além de focar no melho­ra­men­to gené­ti­co. Nós bus­ca­mos ori­en­tar pecu­a­ris­tas sobre a melhor manei­ra de usar a gené­ti­ca ali­a­da ao mane­jo, nutri­ção, ambi­en­te, ges­tão e todos os pro­ces­sos para garan­tir um ani­mal de poten­ci­al exem­plar”, expli­ca o Dire­tor da Alta no Bra­sil, Heve­rar­do de Carvalho.

Para Tia­go Car­ra­ra, Geren­te de Mer­ca­do da Alta, “o obje­ti­vo é que o mer­ca­do nos enxer­gue como uma exce­len­te opção para tra­ba­lhar com essa fer­ra­men­ta de ven­das de embriões pela seri­e­da­de e cre­di­bi­li­da­de da com­pa­nhia. Ampli­an­do e atin­gin­do novas áre­as, esta­mos extre­ma­men­te moti­va­dos a fazer a dife­ren­ça e a enten­der as reais neces­si­da­des de cada produtor”.

E além do port­fó­lio, a Alta tam­bém inves­tiu em espe­ci­a­lis­tas que vão cola­bo­rar com a ori­en­ta­ção téc­ni­ca para os reba­nhos. O médi­co vete­ri­ná­rio, José Rodol­fo Fran­chim Saba­din, che­ga para atu­ar como Geren­te de Embriões, ofe­re­cen­do todo conhe­ci­men­to adqui­ri­do ao lon­go dos 33 anos de atu­a­ção. Pós-gra­du­a­do em Ges­tão do Agro­ne­gó­cio, Saba­din pos­sui uma sóli­da car­rei­ra desen­vol­vi­da na área de embriões, com ampla expe­ri­ên­cia na ges­tão das ope­ra­ções téc­ni­cas e comer­ci­ais, atu­an­do por mais de oito anos na In Vitro Brasil.

Segun­do Saba­din, a expec­ta­ti­va é ofe­re­cer mais uma fer­ra­men­ta de alta velo­ci­da­de de ganho gené­ti­co com toda segu­ran­ça, tec­no­lo­gia, aten­di­men­to e qua­li­da­de que já fazem par­te do cer­ne de entre­ga de valor da Alta. “Com essa tec­no­lo­gia colo­ca­re­mos ain­da mais robus­tez no pla­no gené­ti­co que ofe­re­ce­mos aos nos­sos cli­en­tes, levan­do mai­or velo­ci­da­de de ganho gené­ti­co e outros bene­fí­ci­os como, por exem­plo: a manu­ten­ção ou a mudan­ça rápi­da de grau de san­gue para reba­nhos lei­tei­ros e a pos­si­bli­da­de de pro­du­zir ani­mais em lar­ga esca­la com DEPs de mai­or impac­to econô­mi­co den­tro de cada sis­te­ma de pro­du­ção, além da capa­ci­da­de de esco­lha com alta pro­ba­bi­li­da­de para o sexo do pro­du­to (macho ou fêmea)”, fina­li­za.

Para for­ta­le­cer ain­da mais a equi­pe, Luiz Gus­ta­vo Bra­gan­ça, Médi­co Vete­ri­ná­rio for­ma­do pela Uni­ver­si­da­de de Marí­lia (UNI­MAR), ocu­pa­rá o car­go de Geren­te Téc­ni­co, e Kelly Nader Gomes Mar­ques assu­mi­rá a posi­ção de Geren­te de Pro­du­ção. A pro­fis­si­o­nal é Zoo­tec­nis­ta for­ma­da pela FAZU e Médi­ca Vete­ri­ná­ria pela Uniu­be. Ambos deram iní­cio no desen­vol­vi­men­to da tec­no­lo­gia pró­pria para pro­du­ção in vitro de embriões bovi­nos e tam­bém no pri­mei­ro labo­ra­tó­rio de FIV inter­no. Além dis­so, são os res­pon­sá­veis por desen­vol­ver um pro­to­co­lo espe­cí­fi­co para a pro­du­ção in vitro de embriões para a raça Holan­de­sa e a con­so­li­da­ção da téc­ni­ca de con­ge­la­men­to len­to para a DT de embriões FIV.

Fon­te: Asses­so­ria de Comu­ni­ca­ção da Alta

Rolar para cima