ABCZ lança manifesto contrário à apropriação indevida das denominações“leite” e “carne” pelos produtos integralmente vegetais - Balde Branco

O posi­ci­o­na­men­to con­trá­rio da ABCZ à tal medi­da repre­sen­ta res­pei­to e defe­sa ao tra­ba­lho dos mais de 23 mil asso­ci­a­dos, cujo fomen­to e pro­du­ção atin­gem mais de 80% do reba­nho bovi­no naci­o­nal, com pro­du­ção esti­ma­da em 2020 de 10,5 milhões de tone­la­das de car­ne bovi­na e 24,5 milhões de tone­la­das de leite

 
 

ABCZ lança manifesto contrário à apropriação indevida das denominações “leite” e “carne” pelos produtos integralmente vegetais 

A Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Cri­a­do­res de Zebu (ABCZ) vem a públi­co mani­fes­tar sua posi­ção con­trá­ria à apro­pri­a­ção inde­vi­da das deno­mi­na­ções “car­ne” e “lei­te” (des­ti­na­das a pro­du­tos de ori­gem exclu­si­va­men­te ani­mal) pelos pro­du­tos inte­gral­men­te vege­tais, deno­mi­na­dos “plant based”.  A mani­fes­ta­ção públi­ca da enti­da­de res­pon­de à con­vo­ca­ção do Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra, Pecuá­ria e Abas­te­ci­men­to, que bus­ca colher per­cep­ção da soci­e­da­de sobre tal assunto.

Des­ta for­ma, o posi­ci­o­na­men­to con­trá­rio da ABCZ à tal medi­da repre­sen­ta nos­so res­pei­to e nos­sa defe­sa ao tra­ba­lho dos mais de 23 mil asso­ci­a­dos, cujo fomen­to e pro­du­ção atin­gem mais de 80% do reba­nho bovi­no naci­o­nal, com pro­du­ção esti­ma­da em 2020 de 10,5 milhões de tone­la­das de car­ne bovi­na e 24,5 milhões de tone­la­das de leite.

Temos per­cep­ção cla­ra de que o uso impró­prio des­sas pala­vras tra­duz-se em pro­pa­gan­da enga­no­sa peran­te os con­su­mi­do­res, ao fazer crer que estão inge­rin­do subs­tân­ci­as com as mes­mas pro­pri­e­da­des orga­no­lép­ti­cas e nutri­ci­o­nais, quan­do na ver­da­de estu­dos demons­tram que são dís­pa­res. Exem­plo está em levan­ta­men­to publi­ca­do na pres­ti­gi­o­sa revis­ta cien­tí­fi­ca “Natu­re” de 05 Julho de 2021, por pes­qui­sa­do­res do Cen­tro Médi­co da Uni­ver­si­da­de de Duke, que, em emen­ta, con­cluí­ram que o per­fil meta­bó­li­co entre a car­ne bovi­na e os “plant based” dife­rem-se em 90%, pois dos 190 meta­bó­li­tos ana­li­sa­dos ape­nas 19 são comuns, não sen­do pos­sí­vel defen­der nutri­ci­o­nal­men­te que se pos­sa subs­ti­tuir um pro­du­to por outro, ou que sejam inter­cam­biá­veis, como a nomen­cla­tu­ra pre­ten­di­da de “car­ne vege­tal”, “lei­te vege­tal” ou “ovo vege­tal” dei­xa entender.

Des­ta for­ma, pedi­mos ao com­pe­ten­te Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra, Pecuá­ria e Abas­te­ci­men­to que refu­te  esses nomes impró­pri­os aos “plant based”, cum­prin­do mais uma vez o seu papel de pro­te­ger a saú­de dos con­su­mi­do­res e de defen­der a posi­ção — lou­vá­vel — de lide­ran­ça do Bra­sil no mer­ca­do mun­di­al de pro­teí­na animal.

Rival­do Macha­do Bor­ges Júni­or
pre­si­den­te da ABCZ

Rolar para cima