Vacinação em dia do rebanho: prevenir para não remediar

  • 4 de setembro de 2019
Vacinação em dia do rebanho: prevenir para não remediar

Rebanho saudável e bem manejado, esta é a maior garantia de o produtor de leite evitar transtornos, redução da produção, perda de animais e ainda perigos para a saúde humana
Gisele Dela Ricci

Na bovinocultura leiteira a prevenção de doenças tem fundamental importância visando prevenir quedas na produção animal. Para isso, torna-se imprescindível que os produtores tenham a capacitação para entender e permanecer atentos aos programas de vacinação adotados em diferentes regiões agropecuárias do País.
Vacinas são definidas como substancias biológicas criadas a partir de bactérias, vírus e demais agentes causadores de enfermidades, podendo conter microrganismos inativos, vivos ou parte destes. Têm a função de prevenir doenças pela estimulação do sistema imunológico dos animais, não apresentando poder curativo, com efeito aproximadamente quinze dias após aplicação.
Cada região tem sua história sobre o controle de doenças e suas particularidades da presença ou ausência dos diferentes agentes patogênicos. O programa de vacinação adequado deve determinar as características do ambiente como clima e vegetação, e dos bovinos, como origem, raça, predisposição genética, histórico de vacinações, incidência e prevalência de doenças, a biossegurança, o sistema de criação empregado, de acordo com a situação epidemiológica da criação.
Vacinas veterinárias garantem saúde e bem-estar animal, atuam em saúde pública, prevenindo a transmissão de zoonoses e eliminando doenças possivelmente transmitidas para os alimentos, melhorando a eficiência da produção alimentícia.
Atualmente tem se levantado informações acerca da não eficácia total das vacinas em uma população. Neste caso, é importante esclarecer que mesmo que as vacinas não imunizem todos os animais do rebanho, a maioria dos indivíduos estando protegida reduz a circulação do agente causador da doença, diminuindo, assim, a infecção dos bovinos sadios, permitindo a ótima saúde dos animais. .

Leia a íntegra desta matéria na edição Balde Branco 657 (setembro/2019)