Vacathon/Embrapa é oportunidade para o surgimento de startups

  • 12 de setembro de 2019
Vacathon/Embrapa é oportunidade para o surgimento de startups

Maratona de programação para a pecuária de leite, chamada de “Vacathon”, será realizada entre os dias 28/10 e 01/11, em Juiz de Fora – MG

Rubens Neiva (com colaboração de Juliany Atílio)

 

Com a Caravana 4.0, evento que integra o Ideas for milk, teve início o esforço de pesquisadores e analistas da Embrapa Gado de Leite na mobilização de professores e estudantes para o Vacathon, que acontece de 28 de outubro a primeiro de novembro. Trocadilho com as palavras “vaca” e “hackathon” (maratona de programação), o Vacathon reunirá cerca de 100 estudantes e professores de instituições de ensino visitadas pela Caravana 4.0 – Eles ficarão acampados na sede da Embrapa Gado de Leite, em Juiz de Fora – MG e, nos quatro dias do evento receberão mentoria de especialistas renomados em vários aspectos da atividade leiteira, além de visitar o Campo Experimental da instituição e a fábrica do Instituto de Laticínios Cândido Tostes/Epamig.

Participar do Vacathon é ponta pé inicial para jovens que buscam crescer no mercado da tecnologia. “Os estudantes têm a rara oportunidade de conhecer mais sobre como funciona a cadeia produtiva do leite por meio do contato com profissionais que serão fontes de conhecimento no desenvolvimento de soluções digitais para o setor”, diz o chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, Paulo do Carmo Martins. Vários participantes chegam à maratona sem nunca ter tido contato com uma fazenda e saem aptos a empreender no Agtech, dando continuidade aos projetos iniciados no Vacathon. A isso, Martins chama de criar um ecossistema favorável ao surgimento de startups para o agronegócio do leite.

Um exemplo é a estudante de Ciência da Computação do IF Sudeste campus Rio Pomba, Marcella Menezes, que formou a startup AISAD. Ela participou do Vacathon em 2018 e conta que conhecer todas as etapas da atividade leiteira a ajudou a encontrar um importante problema no setor. “Quando explicaram como os fazendeiros cuidavam das bezerras, as anotações que eram feitas em papel e a demora para tomada de decisões, vimos a necessidade de criar um aplicativo para ajudar na organização da rotina”, conta. Foi então que ela, junto com sua equipe, sugeriu a criação de um aplicativo que avisasse as tarefas do dia relacionadas às bezerras, como alimentação, pesagem, medição, medicamentos, etc. Os produtores poderiam controlar online do que acontecia e ganhar tempo na tomada de decisões.

Startups no agro – Segundo o chefe de Transferência e Tecnologia da Embrapa Gado de Leite, Bruno Carvalho, o mercado de startups ligadas ao agronegócio é cada vez mais atrativo, graças à melhoria da internet no campo. A internet rural evoluiu para o 4G e a conexão via satélite a preços acessíveis. “Os empreendedores começaram a se interessar por uma área que gera muita riqueza e a concorrência ainda é pequena, com poucas startups no campo”, afirma Carvalho. Mas o setor rural ainda é uma novidade para os desenvolvedores de tecnologias digitais. Mais do que no meio urbano, para se estabelecer no mercado, um projeto precisa passar por incubadoras e aceleradoras de empresas. “Os meninos têm ótimas ideias, querem inovar, mas não sabem empreender. Então passam por aceleradoras para transformar a ideia em negócio”, explica.

Esse foi o caso da Volutech, startup que criou um dispositivo capaz de medir a temperatura e o volume do leite nos tanques de resfriamento. Sávio da Cruz, estudante de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Viçosa, um dos membros da Volutech, conta que após a participação no Vacathon, a equipe voltou para a Universidade e continuou trabalhando no projeto.  Atualmente a startup está pré-incubada na Centev/UFV. “Já estamos com cara de empresa, temos produto estabelecido, processo de patente finalizado e fechamos nossa primeira parceria com a Laticínios Viçosa”, comemora.

 

IDEAS FOR MILK

O Vacathon é um dos eventos que integra o Ideas for Milk, uma ação da Embrapa Gado de Leite, criada em 2016 que entra este ano em sua quarta edição. Segundo o chefe-geral da Instituição, Paulo do Carmo Martins, “o objetivo é fomentar o surgimento de um ecossistema, reunindo empresas, universidades, pesquisa agropecuária e o setor produtivo, capaz não apenas de apresentar soluções, mas de empreender, transformando as soluções em novas startups para a cadeia produtiva do leite”. Além do Vacathon, o Ideas for Milk conta com o desafio de Startups e a Caravana 4.0.

Ganhadores do Ideas for Milk, edição 2018

A Caravana 4.0 teve início no mês passado e as inscrições para o Desafio de Startups já estão abertas. Os interessados em participar do Desafio podem se inscrever, gratuitamente, no site do evento (http://www.ideasformilk.com.br/desafio). A edição deste ano traz novidades, abrindo novas oportunidades para os empreendedores. Além dos trabalhos voltados para a inovação digital, serão aceitos projetos inovadores em designer industrial, embalagem e em processos e produtos lácteos. Os projetos inscritos serão avaliados e selecionados nacionalmente. Os vencedores que participarão da final serão conhecidos no dia oito de novembro. A grande final ocorrerá em São Paulo, no Cubo, espaço de empreendedorismo do Banco Itaú, no dia 22 de novembro.