Tereza Cristina: anunciada a nova ministra da Agricultura

  • 13 de novembro de 2018
Tereza Cristina: anunciada a nova ministra da Agricultura

Por José Luiz Tejon Megido, membro do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) e Dirige o Núcleo de Agronegócio da ESPM.

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (7) a deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS) como ministra da Agricultura. Ela será a segunda mulher a comandar a pasta. A diversidade e o apoio de todo o setor do agro conduziu a deputada federal para o posto de ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, pois ela possui talentos para tal.

Estive com Tereza Cristina no evento Campo Grande Expo 2018 participando de um debate, e confesso que gostei das palavras e da visão da então deputada.

Algo que me atraiu também foi poder perceber que a senhora Tereza Cristina é um ser com inteligência emocional. Sim, a consciência emocional. Precisamos ter no novo governo seres humanos com o dom de serem firmes, porém conciliadores, sensíveis e apresentarem o importantíssimo dom da amabilidade.

A nova ministra terá fortes lutas internas para travar no campo da continuidade do que foi bem iniciado pelo ministro Blairo Maggi e seu secretário executivo Eumar Novacki.

Foco no resultado e compliance severo, convocando todo o setor empresarial nas questões sanitárias. Da mesma forma, diálogo e negociações internacionais com clientes de todo o mundo, onde de novo, a intuição e a sensibilidade farão toda a diferença.

O Brasil significa segurança alimentar para o planeta e jamais devemos nos envolver em conflitos e na geopolítica de blocos, onde alimento tem sido usado como arma militar.

A ministra Tereza Cristina deve se aproximar dos supermercados, das associações, como a Abras (Associação Brasileira de Supermercados) e a ABIA (Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação), pois reunidas somam quase um trilhão de reais e significam os maiores clientes da agropecuária brasileira.

Que a ciência e a tecnologia – junto a Embrapa – sejam a abertura para a educação. Que haja um novo papel acelerador do conhecimento, do design thinking, da mulher no agro, do jovem e da sustentabilidade, o bem-estar animal, a sucessão e a atração do empreendedorismo para este campo e a cidade, que reunidos formam uma agro-sociedade.

Que a ministra Tereza Cristina prepare o ministério atuando em toda a cadeia produtiva e estimule o cooperativismo agropecuário e de crédito.

Inteligência emocional, um talento fundamental para os bons e saudáveis debates e negociações.