Tecnologia promove mudanças e impulsiona expansão

  • 20 de setembro de 2017
Tecnologia promove mudanças e impulsiona expansão

Produtor decidiu apostar na atividade leiteira ao investir no sistema de ordenha voluntária, em mapeamento genômico e tecnologias que tornem a atividade cada vez mais eficiente e melhor para trabalhar

Por Edson Lemos

O ano de 2017 marca uma mu­dança de perfil na vida da Fazenda Vó Anália, na divisa dos municípios de Piraí do Sul e Ventania, no Paraná. Aprofundando uma vocação leiteira descoberta ainda em 2006 com a chegada de quatro vacas Jersey à propriedade, Paulo Cezar e Paulo Eduardo Tonon, pai e filho, apostam agora na alta tecnologia para produzir mais leite, com melhor qualidade. A propriedade acaba de implantar duas unidades da tecnologia de ordenha vo­luntária, ingressando definitivamente na era moderna da exploração leiteira de nível mundial.

Na verdade, trata-se da arrancada de um projeto de longo prazo que prevê 750 vacas em lactação, 1.500 animais no rebanho, toda comida para o gado produzida em casa, a produção de queijos finos, manteiga, iogurte, agregação de valor à produção através do co­mércio de novi­lhas prenhas de boa genética, e o uso de 8 a 10 robôs dentro de cinco anos.

“Eu quero ser uma fábri­ca de proteína. Deixar de ser cereais e passar a ser proteína, seja na forma de queijo, seja na forma de lei­te. Ao invés de vender grão de milho e grão de soja, eu quero vender proteína”, informa o produ­tor, que mantém área agrícola expressiva na fazenda, trabalhando em 250 ha próprios e outros 250 ha arrendados.

O novo perfil que se antevê para a propriedade com a chegada dos dois primeiros robôs do sistema de ordenha voluntária (Voluntary Milking System), da DeLaval, é motivo de or­gulho e felicidade para os Tonon, que trabalham em família. O pai exerce o planejamento e a supervisão geral; o filho Paulo Eduardo, que estuda vete­rinária, cuida do operacional do dia a dia; a filha Marcela ajuda no adminis­trativo. Apenas a filha Renata, médica, não está envolvida diretamente com a propriedade.

Paulo Eduardo detalha que a transição para o novo sistema não exigiu grande mudança de estrutura. As camas das vacas são as mesmas, os bebedouros e os canzis também. Instalou-se um raspador automático, que antes não havia. O antigo free-stall ganhou 10 m de ampliação e teve os dois robôs instalados, substituindo uma ordenhadeira duplo 6. Vacas de pré-parto continuam sendo mantidas em compost barn e logo depois de parir voltam para o free-stall. São 300 animais no rebanho e 122 vacas em ordenha atualmente.

—————————
Leia a íntegra desta matéria na edição Balde Branco 635, de setembro 2017