Irrigação: Projeto correto garante eficiência

  • 6 de março de 2019
Irrigação: Projeto correto garante eficiência

É uma alternativa excelente para aumentar a produção dos que já executam muito bem o manejo e a adubação de pasto. Há o aumento de lotação em 70%, reduzindo o custo por litro de leite e proporcionando maior lucro por área

Por Flávia Tonin

Dizem que o sono do produtor está garantido quando ele sabe que está abastecido de comida para os animais. Porém, neste ano, a estiagem em pleno verão quebrou a tranquilidade de muitos que já estão se valendo de suas reservas de inverno para tratar das vacas. Na região de São José do Rio Preto-SP, por exemplo, em dezembro e janeiro as chuvas foram a metade do registrado no ano anterior. “Temos quatro fazendas que já abriram o silo, pois não têm mais pastos”, comenta o médico veterinário Clodoveu Nicola Colombo Júnior, da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo e multiplicador do Programa Balde Cheio. “Por outro lado, produtores que usam a irrigação têm previsão de alta lotação no pasto até abril”, afirma. Um levantamento feito pelo consultor, no município de Potirendaba-SP, mostrou que existem cerca de 400 hectares de pastagem irrigada no município, com 57 produtores, que produzem de 60 a 2.500 litros de leite ao dia.

Para o pasto crescer viçoso, Colombo explica que há demanda de quatro fatores essenciais: calor, luminosidade, adubação e água, sendo que o produtor pode controlar apenas os dois últimos. Já o calor e a luminosidade, pelo aquecimento global, tendem a aumentar ano a ano, o que torna ainda mais necessárias as boas práticas de produção.

Por sua vez, o professor Fernando Campos Mendonça, da Esalq/USP, em Piracicaba-SP, ressalta que “modelos e estudos meteorológicos nos mostram que pode haver uma radicalização do clima, com verões e invernos mais rigorosos ou chuvas e secas mais intensas”. Com base na análise de mapas da Rede Agritempo, coordenada pela Embrapa, acredita-se que momentos de seca forte tendem a se intensificar e as pastagens estarão entre as culturas mais irrigadas no Brasil. “Vai depender de os produtores incorporarem corretamente a tecnologia”, comenta.

Em uníssono, os técnicos defendem que antes de investir em irrigação, algo que não é barato e demanda de muitos a tomada de financiamentos, o produtor precisa ter a casa em ordem e saber lidar com o pasto, ou seja, precisa ser um bom gestor do sistema de produção que escolheu.

“A irrigação não é um fator isolado mas algo que otimiza os resultados de fatores que estão funcionando bem”, afirma Mendonça. Ou seja, ressalta, o produtor precisa ter o domínio prévio das técnicas de adubação e manejo rotacionado da pastagem, além da escolha correta da forrageira de acordo com a região e ter um rebanho adequado ao sistema de produção. “De modo geral, são vacas com produção média de 15 a 25 litros por dia, porte médio (450 a 550 kg de peso vivo) e cuja principal fonte de alimento seja a pastagem (mínimo 60% da dieta).”

—————————–
Leia a íntegra desta matéria na edição Balde Branco 651, de março 2019