Fazenda com 2200 vacas reduz trabalho em até 40% com ordenha robotizada

  • 13 de novembro de 2018
Fazenda com 2200 vacas reduz trabalho em até 40% com ordenha robotizada

Resultados foram apresentados durante a World Dairy Expo

Durante a World Dairy Expo, maior feira de pecuária leiteira do mundo, realizada no mês de outubro em Madison (WI), o criador Brian Houin apresentou dados sobre a produção de leite de sua fazenda, localizada em Plymouth, no estado americano de Indiana, e como obteve ganhos de 30 a 40% em economia de trabalho e no aumento no número de litros de leite.

Em entrevista concedida ao jornalista Bernard Tobin, do site Real Agriculture, Houin conta que os robôs têm operado em um novo confinamento do tipo free stall desde 1º de janeiro de 2018. O local abriga 12 lotes, cada um contendo três robôs para a ordenha de 180 vacas e, em outra sala, ele ordenha de forma convencional outras 1.800 vacas três vezes por dia, dando ao fazendeiro a oportunidade de comparar os dois sistemas de ordenha. No total, Houin administra 36 robôs Lely Astronaut e 2.200 vacas em ordenha, que produzem 86 mil litros de leite por dia.

Houin afirma que a eficiência do trabalho é a motivação chave para sua revolução robótica, já que é difícil de encontrar trabalhadores e mantê-los, além da confiança, que é um desafio crescente. Ele também acredita que os robôs proporcionam benefícios de conforto às vacas e são de fácil operação pelo usuário, permitindo aos fazendeiros contar uma história melhor aos consumidores que querem saber mais sobre como os animais são manejados e cuidados.

Durante a World Dairy Expo, Houin falou para uma plateia de fazendeiros curiosos para saber como os robôs têm proporcionado de 30 a 40% de economia de trabalho em seus primeiros nove meses, quando comparados à sala de ordenha convencional. Houin também observou que as vacas no confinamento dos robôs estão produzindo de dois a três litros de leite a mais, por vaca, acima das vacas ordenhadas de forma convencional, sem qualquer custo adicional de alimento.

Outro medidor chave para Houin é a manutenção. Até agora, os robôs parecem estar em vantagem quanto ao custo de manutenção mensal médio de U$13.06 dólares por vaca comparados a U$17.36 da sala de ordenha convencional. Houin não mencionou a dificuldade de comparar robôs novos com uma sala de ordenha que já tem 18 anos de uso, mas a evidência inicial é promissora. Até agora, Houin tem aprovado os robôs e acredita que a economia de trabalho é certamente um incentivo suficiente para as fazendas leiteiras maiores investirem nessa tecnologia.