Interleite Sul: disposição de mudar é mais importante do que área

  • 4 de junho de 2019
Interleite Sul: disposição de mudar é mais importante do que área

Evento traz expressivo grupo de produtores que mostram os desafios do leite 4.0 e casos marcantes de sucesso de pequenas propriedades

Luiz H. Pitombo

 

Com assídua plateia de aproximadamente 700 inscritos, o Interleite Sul 2019 apresentou muitas ideias e possibilidades aos produtores e técnicos presentes, vindos de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, sendo que este último enviou a maior delegação dos três estados, para o evento que ocorreu em Chapecó-SC, entre 8 e 9 de abril.

“Também contamos com delegação do Mato Grosso e de técnicos do Paraguai”, acrescenta Marcelo Pereira de Carvalho, CEO da Agripont, promotora do encontro. Como em outros anos, indica a forte presença de técnicos, que buscam informações a serem aplicadas em suas áreas de atuação junto aos pecuaristas.

Dentro da programação,  relata ele, foram incluídos temas não usuais, como  a  maneira como o consumidor enxerga o setor leiteiro. Igualmente houve espaço para o bem-estar animal; produção integrada no leite, que se inicia em cooperativa do Paraná, e os desafios da chamada pecuária 4.0.

As palestras igualmente abordaram formas para se obter silagem de qualidade; a aplicação de tecnologias de ponta como também as mais simples, mas que trazem ótimos resultados. Estas contaram com marcantes depoimentos de pequenos produtores que superaram dificuldades e impulsionaram sua produção e renda. A ênfase no segmento se justifica, pois é forte a presença da produção familiar na Região Sul, que passou a acumular os maiores volumes de leite produzidos no País. Além disso, casos de grandes propriedades também foram apresentados.

 


Leia a íntegra desta matéria na edição Balde Branco 654 (junho/2019)