Argentina: queda nas vendas e na produção de leite

  • 4 de dezembro de 2017

A produção de leite na Argentina voltou a cair em setembro na comparação anual, repetindo o percentual de -2% de
agosto. Dois meses consecutivos de baixa na produção, tendo como as principais causas as fortes inundações que sofreram, sobretudo, as províncias com as maiores bacias leiteiras, como Buenos Aires, Córdoba, Santa Fé e o norte de La Pampa.

O Subsecretário do setor Lácteo do Ministério de Agroindústria, Alejandro Sammartino, disse a El Cronista que esta
situação de excessos hídricos “interrompeu a recuperação que vinha ocorrendo desde o segundo trimestre”, como as
elevações de 5% em abril, 4% em maio e junho, 3% no mês de julho e 6% em agosto.

Destacou também a forte queda das vendas no mercado interno, principalmente de leite fluido. “Este segmento teve
baixa de 9% no período de janeiro a agosto de 2017, em relação ao mesmo período do ano anterior. Além disso, tivemos redução geral de consumo no primeiro semestre, ainda que a tendência comece a mudar nos últimos meses”, disse ele.

Para Sammartino, as perspectivas apontam que a produção de leite terminará o ano com crescimento entre 2 e 3%
em comparação com 2016. “Estaremos longe da produção de 2015”, afirmou. No ano passado a produção foi de 9.711
milhões de litros, o que significou queda de 14,17% em comparação com 2015, que foi a pior marca desde 2007.