De volta ao leite com toda a força

  • 26 de dezembro de 2017
De volta ao leite com toda a força

Propriedade que já teve marca de leite tipo A volta à atividade em alta escala com genética própria de Girolando e pasto irrigado. Também faz parte do projeto a produção de embriões

Por Luiz H. Pitombo

A família Canto Porto tem raízes na cidade de Mogi Mirim, cerca de 170 km a Noroeste da capi­tal paulista, no mesmo municí­pio em que no início da década de 1980 adquiriu a Fazenda São Francisco. A propriedade passou por diferentes fases até chegar ao seu atual projeto de produção de leite a pas­to e comercialização de embriões de fecundação in vitro (Fiv) das raças Gir e Girolando, o que começou há quatro anos.

Este trabalho ganhou importan­te estímulo com a recente aprovação do Mapa-Ministé­rio da Agricultura, Pecuária e Abas­tecimento para a exportação de ge­nética, com aspi­ração de oócitos e sua seleção em laboratório próprio e produção dos em­­briões pela empresa In Vitro Brasil, que tem sede na propriedade (veja o box). Já existem interessados na África para a compra de 3 mil embriões e outros mil para a Índia, estes, unicamente de Gir PO selecionado para leite no Brasil. Os planos igualmente contemplam a exportação para países da América do Sul.

A produção de leite também avança com o início das obras de terraple­nagem para a implantação de um sistema de produção a pasto irrigado por pivôs para 1.400 vacas Girolan­do ¾ em lactação na Fazenda San­to Antônio, a ape­nas 20 km da São Francisco. Nesta última, a produção diária atual é de 7 mil litros de leite, que se somarão a outros 35 mil do novo projeto, volu­me previsão para até 2023.

A produção lei­teira na São Fran­cisco não é novi­dade e já contou antes com um projeto bem diferente, instalado após a propriedade ser ad­quirida por Antônio Carlos Canto Porto Filho, o Totó, como é mais conhecido. Economista de formação e sócio do Banco BTG Pactual, ele optou na oca­sião pela produção de leite em sistema de free-stall com vacas da raça Holan­desa, lançando posteriormente a marca Forty de leite tipo A, quando atingiu o volume diário de 12 mil litros. O negócio foi interrompido e o plantel foi liquidado em 2002 por dificuldades de escoamen­to junto ao comércio varejista.

————————–
Leia a íntegra desta matéria na edição Balde Branco 638, de dezembro 2017